Cuiabá, 30 de Maio de 2024
Icon search

CUIABÁ

Brasil Segunda-feira, 29 de Janeiro de 2024, 08:22 - A | A

Segunda-feira, 29 de Janeiro de 2024, 08h:22 - A | A

SEGURANÇA PÚBLICA

Brasil teve menor número de assassinatos dos últimos 14 anos em 2023

Agência Gov

O Brasil fechou o ano de 2023 com o menor registro de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) desde 2010. Em 2023, foram 40.464 registros desse tipo. No comparativo com 2022, em que houve 42.190 CVLIs, a redução é de 4,09%, o que representa quase 2 mil vidas de brasileiros e brasileiras salvas.

São considerados CVLIs: homicídio doloso, latrocínio, feminicídio e lesão corporal seguida de morte. Os dados foram inseridos no SINESP, o Sistema Nacional de Dados de Segurança Pública, e foram enviados ao Ministério da Justiça e Segurança Pública pelos 26 Estados e o Distrito Federal. O painel com as atualizações estará disponível em breve para consulta pública.

"Cumprimento todos os profissionais da segurança, com a certeza de que 2024 seguirá a trajetória de redução, o que é fundamental para o país", publicou o ministro Flávio Dino em seu Twitter.

Em 2023, a gestão do MJSP buscou trabalhar junto com as 27 unidades da Federação na construção do Sistema Único de Segurança Pública (SUSP). O MJSP doou mais de R$ 389 milhões em equipamentos, viaturas, armamentos e drones aos Estados, em um esforço de melhorar e ampliar o trabalho local das polícias militar e civil. Além disso, foram disponibilizadas mais de 873 mil diárias para as polícias dos estados, na estruturação e realização de Operações Integradas, um investimento de R$ 262 milhões. Somente a Operação Paz, com foco na redução de homicídios, teve investimento de R$ 123 milhões, sendo realizada em 12 estados. Soma-se a esse esforço, a nova política de restrição de armas de fogo, que reduziu a circulação destas em território nacional.

Para o ministro Flávio Dino, ainda há muito a fazer para que os números informados pelos Estados e demais órgãos tenham cada vez mais precisão e qualidade. “É um processo essencial que nasceu da Lei 13.675. Números cada vez mais confiáveis irão gerar ações mais eficientes”, afirmou.

Ainda para o ministro, o próximo passo é a formulação de um conselho que possa acompanhar de forma mais aproximada o trabalho das polícias. “Reitero a defesa da introdução, na Constituição Federal, do Conselho Nacional das Polícias, para atuar como órgão de cúpula do Sistema Único de Segurança Pública (SUSP)”.

No decorrer desta semana, mais números e detalhes sobre a criminalidade serão divulgados, proporcionando uma visão mais abrangente da situação atual e possibilitando uma análise mais aprofundada das políticas e práticas de segurança implementadas pelos estados e Distrito Federal.

Abaixo, segue o registro histórico de CVLIs no Brasil:

2010: 46.363
2011: 48.084
2012: 53.054
2013: 54.163
2014: 57.091
2015: 55.492
2016: 57.842
2017: 59.523
2018: 52.014
2019: 42.044
2020: 44.592
2021: 42.969
2022: 42.190
2023: 40.464

Por: Polícia Federal (PF)

 
Cuiabá MT, 30 de Maio de 2024