Cuiabá, 26 de Maio de 2024
Icon search

CUIABÁ

Cidades Quinta-feira, 31 de Dezembro de 2020, 11:27 - A | A

Quinta-feira, 31 de Dezembro de 2020, 11h:27 - A | A

LINHA DE CRÉDITO

CEF propôs mais R$ 400 milhões para finalizar obras do VLT

Lazaro Thor Borges | Gazeta Digital

O superintendente nacional da Caixa Econômica Federal (CEF), Vladimir Brito, ofereceu ao governo de Mato Grosso a contratação de outras linhas de crédito para que o estado concluísse as obras do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT). A sugestão foi feita formalmente durante reunião do grupo de trabalho criada para discutir soluções para o modal.

Em março de 2020, em reunião no Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR), o Brito sugeriu o que considerou a mais fácil solução para o governo resolver o problema do VLT: contratar um novo financiamento no montante de R$ 440 milhões para a finalização da obra.

A ideia do executivo da CEF era que o Estado analisasse alternativas de opção de crédito visando à suplementação de aproximadamente R$ 440 milhões de contrapartida para finalizar as obras do VLT. Somado ao valor restante dos desembolsos que ainda podem ser feitos no contrato de financiamento do VLT, o governo conseguiria concluir facilmente a obra.

Na mesma reunião, o então secretário Nacional de Mobilidade e Serviços Urbanos, José Carlos Medaglia Filho, informou que não existe possibilidade de repasse por parte do governo federal para a conclusão da obra e que, neste caso, seria necessário a contratação de operação de crédito ou a utilização de recursos do caixa do governo estadual.

Segundo afirmou Medaglia, os recursos federais estão comprometidos por mais de uma década à frente e, por isso não há expectativas a curto prazo de novos aportes. Uma das sugestões do secretário foi a realização de parcerias com entes privados, na forma de Parceria Público-Privada (PPP).

Levantou também a hipótese de se levar esse empreendimento ao grupo do PPI e também que o Estado estudasse contratar uma consultoria para a realização de modelagem de PPP, diz trecho da ata da reunião do grupo de trabalho, que cita o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do governo federal.

Apesar das indicações, o governo estadual decidiu trocar o modal do VLT pelo BRT por considerar ser um modal mais barato. No dia 23 de dezembro, o governador Mauro Mendes (DEM) apresentou a decisão à população em uma coletiva de imprensa em que comparou as vantagens do BRT em relação ao modal escolhido em 2012 pelo ex-governador Silval Barbosa.

Cuiabá MT, 26 de Maio de 2024