Cuiabá, 18 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Cidades Sexta-feira, 11 de Novembro de 2022, 17:19 - A | A

Sexta-feira, 11 de Novembro de 2022, 17h:19 - A | A

MONKEYPOX

MT já acumula 114 casos da nova varíola; 12 aguardam resultado de exames

Da Redação

Mato Grosso registrou 114 casos da nova varíola, conhecida como Monkeypox. Cuiabá e Várzea Grande, as duas maiores cidades do estado, lideram na quantidade de pessoas diagnosticadas com a doença, 64 e 23, respectivamente.

Segundo o último boletim divulgado pela Secretaria do Estado de Saúde (SES), também houve registros da nova varíola em Sinop (5), Tangará da Serra (4), Campo Novo dos Parecis (4), Barra do Garças (2), Novo Mundo (2), Araputanga (1), Cáceres (1), Campo Verde (1), Guarantã do Norte (1), Nova Xavantina (1), Poxoréu (1), Primavera do Leste (1), Rondonópolis (1), São Félix do Araguaia (1) e Sorriso (1).

 

Dois casos estão sendo tratados como prováveis para Monkeypox. No estado, 141 casos da doença foram descartados.

Ainda há 12 casos em investigação, de acordo com dados do Ministério da Saúde de quinta-feira, 10 de novembro.

Morte

A primeira morte causada pela doença no estado foi confirmada na última quarta-feira, 9 de novembro. A vítima era um rapaz de 27 anos, morador de Campo Verde.

Ele foi diagnosticado com a doença no dia 5 de setembro e transferido para o Hospital Universitário Júlio Müller (HUJM), na capital, no dia 21 do mesmo mês. De acordo com a SES, o homem apresentava baixa imunidade e comorbidades que agravaram o quadro da doença.

Dados nacional

Até o momento, o Brasil registrou 12 mortes pelo Monkeypox, sendo cinco no Rio de Janeiro, três em Minas Gerais, três em São Paulo e um em Mato Grosso.

No boletim divulgado pelo Ministério da Saúde na quinta-feira, o país registra 9.606 casos confirmados. Ainda há no Brasil 4.371 pacientes com diagnóstico suspeito da doença.

Vacina

Em relação à vacina contra a nova varíola, o Ministério da Saúde comprou cerca de 50 mil doses, sendo que 9,9 mil já chegaram ao país no último dia 4 e os próximos lotes devem chegar até o final do ano.

Segundo a pasta, inicialmente, os imunizantes serão utilizados para a realização de estudos, conforme recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), para avaliar a efetividade da vacina Jynneos/MVA-BN®️.

“É importante ressaltar que as vacinas são seguras e atualmente são utilizadas contra a varíola humana ou varíola comum. Por isso, o estudo pretende gerar evidências sobre efetividade, imunogenicidade e segurança da vacina contra a varíola dos macacos e, assim, orientar a decisão dos gestores”, diz trecho da nota enviada à reportagem.

A população-alvo do estudo será formada por pessoas mais afetadas e com maior risco para a doença, como pessoas em pós-exposição, ou seja, que tiveram contato prolongado com caso confirmado de Monkeypox e pessoas em pré-exposição, que fazem uso de profilaxia pré-exposição (PrEP) ou em tratamento com antirretroviral para HIV.

 
Cuiabá MT, 18 de Junho de 2024