Cuiabá, 19 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Cidades Quarta-feira, 19 de Outubro de 2022, 16:53 - A | A

Quarta-feira, 19 de Outubro de 2022, 16h:53 - A | A

CRIME AMBIENTAL

Proprietário de imóveis é multado em mais de R$ 400 mil por suposto garimpo

Fernanda Leite | Prefeitura de Cuiabá

O proprietário dos três imóveis localizados ao lado da ‘Escadaria do Beco Alto’, no Centro de Histórico de Cuiabá, e que estariam sendo ultilizados para suposta exploração ilegal de garimpo, o advogado Cláudio Campos Araújo, foi autuado em R$ 417.510,22 pela Secretaria de Ordem Pública (Sorp) pela prática de crime ambiental, com agravantes de reincidência por ter cometido a infração em proveito próprio e não ter as devidas licenças para realização da obras no local.

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, lamentou a situação e pediu ao Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan), Polícia Federal e Polícia Judiciária Civil e Ministério Público do Trabalho (MPT) que tomem providências e que o responsável seja punido conforme determina a lei.

 

"O município não tem prerrogativa para saber se ali funciona um garimpo, e se usa exploração de mão de obra de pessoas em vulnerabilidade social, mas eu peço à Polícia Federal, Iphan e à Polícia Civil que tomem as providências imediatas e que essas instituições façam todas investigações e adotem as providências cabíveis. E ainda, que os responsáveis sejam punidos. A Prefeitura de Cuiabá tem limitação para exercer essas funções porque fogem da prerrogativa da administração municipal. Mas, estamos agindo no limite da lei para que isso não ocorra em Cuiabá, esse absurdo", disse o prefeito durante sua fala na transmissão da live de terça-feira (18).

Conforme o secretário de Ordem Pública, Leovaldo Sales, no local verificou-se que além de crimes ambientais, também estaria ocorrendo a exploração de mão de obra de moradores em situação de rua, em em condição análoga à de escravidão, além da depredação de casarões históricos tombados como patrimônio histórico.

Ainda segundo os moradores da região, durante a noite e aos finais de semana, caminhões "deixam" o local carregados de terra e entulho. No local, foram encontradas muitas pedras, que são grandes obstáculos para a passagem de pedestres nas calçadas.

À equipe de fiscalização, o proprietário dos três casarões, Cláudio Campos Araújo, justificou que são realizadas obras para um muro de contenção. Disse ainda que futuramente pretende construir um shopping horizontal, um polo comercial, na região. Aos fiscais, negou utilizar mão em condição análoga à de escravidão. O prazo legal para apresentação das licenças cabíveis é de dez dias.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Cuiabá MT, 19 de Junho de 2024