Cuiabá, 13 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Cidades Sexta-feira, 30 de Setembro de 2022, 10:10 - A | A

Sexta-feira, 30 de Setembro de 2022, 10h:10 - A | A

MONKEYPOX

SMS capacita médicos e enfermeiros sobre manejo e conduta nos casos da nova varíola

Assessoria de Imprensa

Aproximadamente 300 profissionais entre médicos e enfermeiros das Unidades de Saúde de Cuiabá (Regionais Leste, Oeste, Norte, Sul e Rural) que atuam na Atenção Básica e da Atenção Secundária da Secretaria Municipal de Saúde participam de capacitação sobre “Monkeypox – Manejo e Conduta”, no auditório do Instituto de Saúde Coletiva (ISC ) da UFMT. Os participantes foram divididos em duas turmas, uma das 7h às 12h desta quinta-feira (29) e a outra na sexta-feira (30) ,das 13h às 17h. Uma iniciativa da SMS através da Secretaria Adjunta de Atenção Básica que visa orientar os profissionais sobre o manejo e vigilância dos casos de Monkeypox.

Conforme a programação, será abordada os seguintes tópicos: “Epidemiologia da Monkeypox”, com a Gerente de Vigilância de Doenças e Agravos Transmissíveis, Flávia Guimarães Dias Duarte; “Manifestação clínica e diagnóstico laboratorial”, com a médica infectologista da SMS Eva Clarice Abdo Grigoli; “Coleta das amostras clínicas”, com a enfermeira da Gerente de Vigilância de Doenças e Agravos Transmissíveis, Ely Costa Lesse; “Notificação/investigação”, com esclarecimentos dos palestrantes Flávia, Ely e Márcio Frederico; “Fluxo da rede, Monitoramento do caso e rastreamento dos contatos”, com o coordenador de Programas Especiais da Atenção Básica da SMS, Márcio Frederico de Macedo Arruda e “Prática na avaliação”, com a responsável técnica e a enfermeira do SAE Norte, Liney Araújo e Silvana Proença, respectivamente.

 

“O objetivo é ter melhor resultado em qualidade quanto ao enfrentamento dessa patologia. Doença caracterizada por erupções cutâneas, feridas caracterizadas por bolhas que estouram e se dissipam por todo o corpo, portanto, uma patologia auto limitante. Pode estar preferencialmente nas partes genitais, cerca de 47% dos casos no município , mas também podem estar em outras áreas do corpo”, explicou o Coordenador de Programas Especiais, Márcio Frederico.

A doença precisa ser diagnosticada por meio de coleta de material e em caso positivo necessita de isolamento imediato para que o ciclo da Monkeypox seja quebrado, ou seja, não atinja outras pessoas e se alastre. Os sintomas continuam sendo febre, dores articulares, plurido no desenvolver da patologia, ínguas, calafrios, cansaço em excesso.

“Quando diagnosticada e confirmada a pessoa precisa imediatamente entrar em isolamento domiciliar por até 21 dias, ou até que as haja incidência de feridas, pois as feridas podem transmitir a Monkeypox. O isolamento é para evitar o contato com outras pessoas, evitar contato sexual e contato físico. Partículas e gotículas podem contagiar. Profissionais da saúde estão em risco também, por isso essa ampliação de conhecimentos na precaução e manejo da patologia”, frisou Márcio Frederico.

A indicação ao descobrir qualquer sintoma ou feridinha que não conheça o surgimento, a pessoa deve procurar uma unidade de saúde mais próxima para atendimento e assim a situação possa ser investigada para confirmação ou descarte da doença. Como a patologia acomete tanto moradores do Estado como do município de Cuiabá, os profissionais de saúde contam com a colaboração de todos.

A Responsável Técnica (RT) do Núcleo de Educação Permanente em Saúde, Nilvaine Marques de Oliveira também participa da programação, sendo responsável pela logística do evento.

MONKEYPOX

Atualmente em Cuiabá são 59 casos notificados sendo 43 positivos para Monkeypox. O principal meio de transmissão do vírus é por relação sexual, mas não é a única. Compartilhar objetos contaminados ou contato com pessoas positivadas também contribuir para novos casos.

Vale ressaltar que em 07 maio deste ano a Organização Mundial de Saúde foi notificada pelo Reino Unido sobre o primeiro caso confirmado. Logo em seguida a OMS considerou o surto para Monkeypox como uma Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional.

No Brasil, depois de instituir a Sala de Situação de Monkeypox, já com a finalidade de divulgar de maneira rápida e eficaz as orientações para resposta ao evento de saúde pública e direcionar ações de vigilância, o Ministério da Saúde ativou o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública – COE Monkeypox. O COE tem com objetivo organizar a atuação do SUS nas três esferas: nacional, estadual e municipal.

 
Cuiabá MT, 13 de Junho de 2024