Cuiabá, 22 de Julho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Economia Terça-feira, 09 de Julho de 2024, 07:04 - A | A

Terça-feira, 09 de Julho de 2024, 07h:04 - A | A

SETOR NO PREJUÍZO

Mais da metade dos bares e restaurantes de MT fecharam maio no vermelho, diz Abrasel

Da Redação

Uma pesquisa da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-MT) apontou que 64% dos comércios do ramo alimentício de Mato Grosso operaram sem lucros em maio deste ano. Mesmo com o Dia das Mães, uma das datas que mais movimentam o comércio, o setor não conseguiu obter lucro. Apesar disso, a pesquisa divulgada na primeira semana de julho mostrou que 36% dos estabelecimentos conseguiram lucrar.

O setor estava otimista com o Dia das Mães, conforme divulgado pela Abrasel-MT no início de maio, com a expectativa de um aumento de faturamento de até 20% em relação ao ano passado. No entanto, isso não se concretizou. Um dos problemas apontados por Lorenna Bezerra, presidente da Abrasel em Mato Grosso, foi a inflação dos alimentos.

“Novamente, o nosso setor vem sendo duramente penalizado. Desta vez, a inflação continua subindo e ainda nem conseguimos liquidar pendências adquiridas na época da pandemia. Caminhamos a passos lentos e em busca de políticas de apoio e incentivos para tentarmos nos sustentar em meio a essa nova realidade, trabalhando para um cenário positivo onde seja possível continuar contribuindo com a economia”, disse Bezerra.

Dos bares e restaurantes que não conseguiram lucrar, 25% operaram em prejuízo e 39% em equilíbrio. Além disso, há um novo imposto sendo implementado, conhecido como o “Imposto do Pecado”, que prevê aumentar os valores de produtos que prejudicam a saúde, como bebidas alcoólicas e açucaradas.

Apesar do cenário geral, alguns estabelecimentos conseguiram resultados positivos. Francyne Rabaioli, do Canto Cozinha e Conforto, contou ao Estadão Mato Grosso que lucrou em maio, mas os valores não superaram os do ano passado. Mesmo com cardápio e evento planejado para o Dia das Mães, a movimentação foi baixa.

Para reverter a situação, Rabaioli investe em um bom atendimento e em marketing nas redes sociais. Ela afirmou que, apesar dos impostos sobre alimentos, ainda não vai repassar os custos aos clientes. “Já repassamos os impostos no ano passado. Este ano, não achei necessário devido à queda de movimento no restaurante. Não irei aumentar preços por agora”, finalizou.

Os dados nacionais são similares aos de Mato Grosso: 64% dos empreendimentos do setor no Brasil não lucraram em maio deste ano. Destes, 25% operaram em prejuízo e 39% em equilíbrio. Em relação à inflação, 39% dos estabelecimentos não conseguiram repassar o aumento dos custos para os consumidores nos últimos 12 meses. Apenas 10% conseguiram reajustar acima da inflação, enquanto 51% fizeram reajustes no valor da inflação ou abaixo dele.

 
Cuiabá MT, 22 de Julho de 2024