Cuiabá, 18 de Julho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Geral Sábado, 26 de Junho de 2021, 09:48 - A | A

Sábado, 26 de Junho de 2021, 09h:48 - A | A

DNA TALENTOSO

Arte regional: legado passado de pai para filho

Por influência do pai, Nilson Pimenta, artista plástico falecido em 2017, seu filho, Valques Rodrigues começou a pintar telas aos seis anos de idade. “Ele me influenciou porque já mexia com a área da cultura, então tomei gosto pela pintura desde cedo”. Ele relembra o início de sua carreira quando pintava e vendia seus trabalhos pelos bancos da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias em tempo real (clique aqui).

“Eu ficava lá fazendo minha exposição esperando as pessoas saírem das palestras para comprar. Geralmente vendia muito onde hoje fica o bloco de Comunicação e Artes. Alguns professores ainda se lembram disso”, explica o pintor, que mesmo durante o rigoroso regime no Exército Brasileiro não desistiu da carreira artística. “Tomei gosto pela pintura desde pequeno e mesmo quando estava no exército, fazia alguns desenhos”, recorda.

Gilberto Leite | Estadão Mato Grosso

VALQUES RODRIGUES PINTURA TELA (11).jpg

 

Ele diz por que passou a utilizar o sobrenome do pai como forma de homenagem “Com ou sem sobrenome eu já tenho o mais importante que é o sangue dele. Já era pra ter colocado o Pimenta antes. Rodrigues é da minha mãe e como meu pai já era artista consagrado resolvi usar o dela,” explica Rodrigues.

Valques possui várias telas vendidas internacionalmente e outras, em exposições nacionais. Em uma espécie de volta ao passado ele se lembra de um momento marcante de sua carreira. Uma exposição em Paris, conhecida com “a cidade da luz” na França. “Fiz exposições lá, comecei a trabalhar bastante e ter inúmeros clientes. Entre eles o colecionador Gilberto Chatobrean que deve ter cerca de 15 obras minhas no Museu de arte moderna do Rio de Janeiro”. Isso para o artista representa muito, pois desde criança seu pai dizia para ele fazer uma exposição “muito bem feita para os jornalistas fazerem matéria e colecionadores conhecerem meu trabalho” conta.

Gilberto Leite | Estadão Mato Grosso

VALQUES RODRIGUES PINTURA TELA (7).jpg

 

O talento para pintar parece estar no sangue da família Pimenta. Pietro, filho de três anos de Valques segue os passos do avô e também já pinta quadros, como conta o pai todo orgulhoso. “Meu filho já pinta, tem vídeos no Instagram dele fazendo arte, sabe pegar certinho no pincel, por na tinta e depois na tela”, O pai ainda diz que a arte ajuda o desenvolvimento infantil, influenciando na inteligência e raciocínio das crianças.

Gilberto Leite | Estadão Mato Grosso

VALQUES RODRIGUES PINTURA TELA (10).jpg

 

Além de artista plástico, Rodrigues também é professor de artes nas horas vagas. Antes da pandemia, ele oferecia cursos gratuitos, onde cada aluno trazia seu material e ele dava aulas. No momento ele trabalha fazendo quadro sob encomenda para seus clientes e também os vende nas redes sociais. Ele finaliza dizendo que quando a pandemia acabar ele planeja lançar uma nova exposição em seu próprio ateliê da sua Arte Nail que ele classifica como “3 em 1. Arte popular, contemporânea e ao mesmo tempo abstrata”.

Cuiabá MT, 18 de Julho de 2024