Cuiabá, 13 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Geral Quinta-feira, 25 de Agosto de 2022, 10:55 - A | A

Quinta-feira, 25 de Agosto de 2022, 10h:55 - A | A

SABORES DO BRASIL CENTRAL

Chefs de cozinha do Centro-Oeste participam de evento no Rio de Janeiro

Rita Comini | Sebrae MT

Chefs de cozinha de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiá s e Distrito Federal participam de da intervenção gastronômica Sabores do Brasil Central, no Centro Sebrae de Referência do Artesanato Brasileiro (Crab), na Praça Tiradentes, no Rio de Janeiro, nos dias 26 e 27/08. A intervenção integra a programação da exposição “Casa do Brasil Central, do Cerrado ao Pantanal”, organizada pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), aberta em 12 de agosto e que prossegue até 30 de outubro. Haverá ainda uma intervenção de turismo, de 03 a 07/10, e a Semana Pantaneira, de 18 a 22/10.

No evento de gastronomia estão os chefs Hugo Rodas (MT), Paulo Machado (MS), Patrícia Garcia (GO), e Ana Paula Jacques (DF). Na sexta-feira, 26, a partir das 15h, as atividades são restritas a convidados e constam de uma visita guiada à exposição, uma roda de conversa entre os chefs regionais e cariocas, com mediação do professor João Carlos Caldeira, organizador do Pantanal Cozinha Brasil, evento já consolidado e referência em Mato Grosso. Além disso, fazem um menu degustação elaborado com as ingredientes e técnicas culinárias do Cerrado e do Pantanal.

 

Já no sábado, 27, será a vez das “Oficinas Sabores do Centro-Oeste”, em que o público geral terá a oportunidade de aprender um pouco sobre os principais pratos da gastronomia da região. Os participantes vão saborear pratos de uma “Matula Centro-Oeste”, preparada pelos chefs de cozinha Hugo Rodas (MT), Patrícia Garcia (GO) e Ana Paula Jacques (DF). Ela será composta por um escaldado (MT), tutu de feijão goiano (GO) e homus de baru (DF).

Beatriz Jardim da Silva, analista do Sebrae MT, diz que o foco principal do evento é disseminar os sabores e insumos de cada estado, indo do Cerrado ao Pantanal, as raízes pertencentes a cada região. “Trata-se uma iniciativa para mostrar que os nossos insumos podem sim ser mais acessíveis e incorporados na gastronomia de qualquer lugar. Queremos promover um momento de conversa, uma mesa redonda entre os chefs de cada estado para que eles possam contribuir para minimizar os desafios de inserir ingredientes ou insumos regionais em suas preparações, promover e fortalecer a valorização desses ingredientes, gerando um sentimento de pertencimento ao consumidor final”.

O professor João Carlos Caldeira reforça a importância de valorizar o que é local e diz que esse é um movimento que acontece no mundo inteiro.
O chef de cozinha Hugo Rodas, do restaurante Seu Majó e da hamburgueria Gudu’s, destaca ser muito legal participar de um evento focado na gastronomia da região Centro-Oeste. “A culinária mato-grossense tem muito para divulgar, nossos peixes, nossas frutas e frutos, os preparos tradicionais e as releituras deles”, resume, acrescentando que irá levar uma maria isabel cremosa, numa roupagem diferente, um peixe com maxixe, na verdade um bolinho de peixe com maionese tártara com picles de maxixe.

Para o chef Paulo Machado, considerado um “embaixador da gastronomia pantaneira”, um evento como este traz uma interligação entre artesanato e gastronomia. “Temos muitos utensílios de cozinha artesanais que são como ‘ingredientes’ porque influenciam no resultado final do prato. São manifestações culturais da maior importância”.

Segundo ele, é muito importante os chefs contarem essas histórias, falarem dos produtos da região. “Cada estado do Centro-Oeste compõe uma paleta de identidades diferente, mas, ao mesmo tempo, estão interligados pelo Cerrado e pelo Pantanal, dois biomas ricos, porém com muita fragilidade e que precisam de cuidados”.

A chef Patrícia Garcia, que atua como consultora na área de gastronomia, no desenvolvimento e implantação de cardápio, processos e padronização, reforça que esse tipo de evento é de suma importância, porque cada vez mais a gastronomia é encarada como cultura e como elemento intrínseco ao turismo. “A gente viaja para comer, a gente come para se divertir, a gente conhece muito um local através da gastronomia. Esse tipo de evento valora o tema, põe em discussão, levanta essa necessidade de entender o mercado, valorizar e buscar bons profissionais, sem contar que proporciona um intercâmbio entre os chefs de cozinha da região”.

Cuiabá MT, 13 de Junho de 2024