Cuiabá, 13 de Julho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Geral Sexta-feira, 21 de Maio de 2021, 17:26 - A | A

Sexta-feira, 21 de Maio de 2021, 17h:26 - A | A

SUCESSO COM O PÚBLICO

Em cena há mais de 20 anos, Almerinda usa o humor para dizer verdades

Responsável por falar verdades sobre o cenário político regional e nacional, a Almerinda está em cena há mais de 20 anos. A personagem, que se identifica hoje como “socialite socialista”, é uma criação do ator cuiabano André D’Lucca, inspirada em mulheres que estavam em evidência anos 2000.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias em tempo real (clique aqui).

Segundo André, a inspiração para criação de Almerinda são Vera Loyola, Rosinha Garotinho e Narcisa Tamborindeguy. “Misturei as três para ser a personalidade de partida da Almerinda e ela ganhou vida própria bem rápido”.

O ator explica que desde o início o objetivo era criar uma personagem que falasse verdades que as pessoas comuns não tivessem coragem. “Ela falava muito do Arcanjo em uma época que ninguém falava. Mas as mudanças na personagem vieram com o tempo, o termo ‘socialite socialista’, por exemplo, surgiu quando ela entrou na política”.

Início da personagem

Almerinda nasceu no espetáculo "Antes só que Só acompanhado", que conta a história de uma família, da qual ela era a vizinha. A peça foi a primeira escrita por André. Ele interpretou três personagens, ao lado da amiga Bete Rocha, que interpretava dois. Na época, eles lotaram o Teatro da UFMT. Ele conta que a mudança na personagem nasceu de uma crítica em uma entrevista após a apresentação.

“Fui dar uma entrevista para o Diário de Cuiabá e a Tânia, que era a editora-chefe do jornal na época, acabou com as personagens que eu interpretava. Ela disse "quero ver o dia que você vai fazer uma mulher de verdade, conflitos de verdade, que a gente olhe, se identifique e fale que ela pode existir". Aquilo ficou na minha cabeça e eu prometi a ela que faria”.

O espetáculo inicial escrito por André era um monólogo em uma sessão de análise. Dirigida por José Augusto Barbosa Filho, Os Segredos de Almerinda foi um sucesso com o público. Ela saiu de uma mulher pobre, moradora da comunidade do São Gonçalo Beira Rio, para uma milionária, herdeira de um marido rico.

“Desde a primeira temporada, quando ela termina a peça com um assassinato, houve um conflito se ela é mocinha ou vilã, então eu já esperava que seria um sucesso, mas a empatia do público com a personagem me chocou. Eles chegaram a aplaudir um assassinato”, conta André.

Apesar de todo o sucesso inicial, ele afirma que só descobriu a habilidade política da a personagem após ser processado pela ex-primeira-dama do Estado de Mato Grosso, Roseli Barbosa.

“Esse ano são 21 anos de Almerinda. Foram muitos momentos marcantes. Ela já foi ao Faustão, já foi dirigida pela Ingrid Guimarães e Eloísa Perissé, ela já fez sucesso no Rio e São Paulo, já se apresentou na Europa, tem toda uma trajetória. A questão política é mais um episódio”, afirma André.

Atualmente, a personagem tem grande repercussão ao entrevistar importantes nomes da política regional e se utiliza do humor para dizer verdades sobre o cenário nacional e regional em redes sociais.

Cuiabá MT, 13 de Julho de 2024