Cuiabá, 24 de Julho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Geral Segunda-feira, 28 de Junho de 2021, 16:56 - A | A

Segunda-feira, 28 de Junho de 2021, 16h:56 - A | A

TECNOLOGIA

Juiz rejeita acusações de monopólio contra o Facebook

G1

O Facebook chegou pela primeira vez nesta segunda-feira (28) ao valor de mercado de US$ 1 trilhão.

As ações da companhia subiram mais de 4% depois que um juiz federal nos Estados Unidos rejeitou uma acusação de monopólio ilegal contra a companhia, movida pela Comissão Federal de Comércio (FTC) do país em dezembro de 2020.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias em tempo real (clique aqui).

Assim, a empresa de Mark Zuckerberg se junta a Apple, Amazon, Alphabet (dona do Google) e Microsoft como as big techs que já atingiram esse patamar de valor.

Decisão ainda não encerra o caso
O juiz responsável pela decisão, James Boasberg, afirmou que a FTC ainda não demonstrou detalhes suficientes para provar que o Facebook detém um monopólio.

Ele também disse que o grupo de 48 autoridades estaduais dos EUA, que moveu uma outra ação que questiona as aquisições do Instagram e WhatsApp pela rede social, demorou demais para abrir um processo.

A medida ainda não encerra os processos contra a rede social. Os órgãos tem até o dia 29 de julho para apresentar uma nova queixa com argumentos que sustentem a acusação.

Quando as ações judiciais foram anunciadas, em dezembro passado, o Facebook negou ter um monopólio e chamou o ato de "revisionismo histórico".

A companhia afirmou que as autoridades não mencionaram que as aquisições dos aplicativos foram aprovadas pelos reguladores na época.

A acusação
A FTC alegou que o Facebook mantém seu domínio nas redes sociais por meio de uma conduta anticompetitiva praticada há muitos anos que resultou em "lucros exorbitantes".

Foram citadas como partes dessa estratégia as compras dos então rivais em ascensão Instagram e WhatsApp pela companhia - em negócios bilionários fechados em 2012 e 2014, respectivamente. A comissão considera a possibilidade de que as compras tenham de ser desfeitas.

A FTC apontou que as práticas do Facebook resultaram em "lucros exorbitantes" e destacou que, em 2019, a companhia gerou US$ 70 bilhões em receitas e mais de US$ 18,5 bilhões em ganhos.

Na decisão desta segunda (28), o juiz escreveu que "a queixa da FTC não diz quase nada de concreto sobre a questão-chave de quanto poder o Facebook realmente tinha e ainda tem".

"É quase como se a agência esperasse que o tribunal simplesmente acenasse com o senso comum de que o Facebook é um monopólio", completou.

Cuiabá MT, 24 de Julho de 2024