Cuiabá, 26 de Maio de 2024
Icon search

CUIABÁ

Geral Domingo, 28 de Janeiro de 2024, 10:39 - A | A

Domingo, 28 de Janeiro de 2024, 10h:39 - A | A

VERDINHA MILAGROSA

Nove doenças que podem ser tratadas com cannabis medicinal

Assessoria de Imprensa

Avanços científicos importantes comprovam a eficácia da cannabis medicinal no tratamento ou controle de sintomas de diversas doenças e transtornos de saúde e demonstram que seu composto mais famoso, o canabidiol, também conhecido como CBD, atua como um neuromodulador nos receptores espalhados pelo corpo, impactando diretamente o sistema nervoso central. Contudo, a cannabis medicinal e seus componentes ainda sofrem por conta do preconceito enraizado em seu uso recreativo.

“Enquanto a cannabis medicinal for vista como tabu, haverá sempre uma desconfiança. Por isso, ao saber dos benefícios do tratamento para a sua condição, o paciente pode sugerir o tratamento. Sofrer com uma condição crônica e não encontrar alívio adequado, mesmo já existindo a alternativas disponíveis no mercado, como o uso medicinal da cannabis, é um atraso para a saúde pública e a medicina nacional”, destaca o Dr. Vitor Brasil, médico integrante da equipe Anna Medicina Endocanabinoide, empresa que nasceu para desburocratizar o acesso à cannabis medicinal no Brasil.

Pensando na difusão do tema e, principalmente, na conscientização com relação aos benefícios gerados pela cannabis medicinal, Vitor Brasil listou 9 doenças que podem ter seus sintomas aliviados com o uso de produtos desenvolvidos à base da planta. Confira alguns possíveis benefícios encontrados nas pesquisas mais recentes:

1. Autismo: Controle da ansiedade e agitação, reduzindo a hiperatividade e beneficiando o controle do sono.

2. Câncer: Tratamento de náuseas e vômitos causados por quimioterapia e radioterapia.

3. Demências: Redução da gliose reativa e da resposta neuro inflamatória, com indícios sobre os impactos no desenvolvimento de déficits cognitivos.

4. Dor crônica: Os efeitos analgésicos auxiliam na redução de dores crônica, incluindo dor neuropática, dor devido a lesões na medula espinhal, artrite, dores musculares e até mesmo em síndromes dolorosas causadas pela endometriose.

5. Espasticidade muscular: Redução da espasticidade muscular em pacientes com esclerose múltipla e lesão medular.

6. Epilepsia: Melhora significativa das convulsões, sendo uma das principais indicações formais para epilepsias de difícil controle.

7. Estresse pós-traumático: Redução dos sintomas de ansiedade e melhora dos parâmetros de sono.

8. Fibromialgia: Os efeitos analgésicos e relaxantes ajudam a diminuir dores e inflamações.

9. Transtornos de ansiedade: Redução dos sintomas de ansiedade e melhora dos parâmetros de sono.

“Temos inúmeros elementos que dificultam a consolidação da terapêutica canabinoide em nosso país. O primeiro, sem dúvida, é a desinformação aliada aos aspectos de discriminação do uso recreativo da maconha. Atualmente, menos de 2% dos profissionais médicos do país têm alguma inserção na prescrição de cannabis medicinal. Mesmo assim, o conhecimento do sistema endocanabinoide não é ensinado durante a graduação e isso impacta diretamente na elaboração de políticas públicas que sejam mais assertivas. Precisamos investir em mais estudos, discutir o tema e divulgar os benefícios da cannabis medicinal para superar essas barreiras que ainda freiam os benefícios gerados por essa planta que está diretamente ligada ao futuro da medicina”, completa Vitor Brasil.

 
Cuiabá MT, 26 de Maio de 2024