Cuiabá, 18 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Geral Sexta-feira, 21 de Outubro de 2022, 10:42 - A | A

Sexta-feira, 21 de Outubro de 2022, 10h:42 - A | A

TORTURA

Vídeo: Estudante de 15 anos grávida é espancada até desmaiar

g1

Uma adolescente de 15 anos, que está grávida de 7 meses, foi agredida até desmaiar dentro do colégio que estuda em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Desde o dia 15 de setembro, quando a agressão aconteceu, ela não voltou para assistir as aulas no CIEP Jean Baptiste Debret.

Tudo começou quando a agressora importunou a gestante no corredor da escola com frases feias sobre o bebê e seu pai. A estudante devolveu a provocação chamando a outra de corna. Foi então, que a jovem de 18 anos partiu para a agressão.

 

De acordo com alguns alunos, a agressora deu chutes na barriga e pisou na cabeça da adolescente. Imagens gravadas pelos adolescentes mostram a hora que ela cai desmaiada no chão e outro momento em que é retirada desacordada pela equipe do Samu.

A mãe da adolescente estava no trabalho quando recebeu uma ligação da filha mais velha, de 26 anos, para contar o que tinha acontecido. Por volta das 15h, a diretora da escola disse para a mãe que houve uma briga dentro da sala e que a jovem estava envolvida.

Porém, segundo a diretora, ela apenas escorregou e bateu a cabeça. Ela também disse que nenhum funcionário tinha presenciado a briga, mas a estudante foi socorrida por um professor de educação física.

A menina foi encaminhada para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu. Segundo a mãe, a escola informou para os médicos que a gestante teria sofrido um surto psicótico. Uma enfermeira chegou a quase dar medicação para problemas mentais para a menina, mas foi impedida pela mãe, que pediu transferência para a Maternidade Mariana Bulhões, também em Nova Iguaçu.

A adolescente foi levada com ferimentos para o hospital onde ficou internada por um dia e depois recebeu alta. O bebê não teve problemas, mas a gravidez terá acompanhamento médico redobrado.

O que dizem: Polícia, Secretaria de Educação e escola

Segundo a delegada Bárbara Lomba, o laudo médico não indicou lesão corporal grave.

A agressora segue matriculada na mesma escola e por isso a adolescente agredida está com medo de voltar ao colégio. Ela está afastada dos estudos há cerca de 35 dias. A direção da escola não se posicionou até o momento.

A Secretaria Estadual de Educação informa que está apurando a situação.

 
 
 
 
 
 

VÍDEO

 
 
 
 
 
 
 
 
Cuiabá MT, 18 de Junho de 2024