Cuiabá, 21 de Maio de 2024
Icon search

CUIABÁ

Judiciário Terça-feira, 07 de Maio de 2024, 19:57 - A | A

Terça-feira, 07 de Maio de 2024, 19h:57 - A | A

CRIME MACABRO

Justiça manda "serial killer" a Júri Popular por matar jovem com 30 facadas em Cuiabá

Da Redação

A juíza Marina Carlos França, da 12ª Vara Criminal de Cuiabá, encaminhou Juberlandio Diniz Alvarenga para ser julgado pelo Tribunal do Júri por assassinar de Roger André Soares da Silva, de 29 anos, em abril de 2022. O crime chamou a atenção pela crueldade, pois a vítima foi morta com 30 facadas e encontrada na residência do assassino com cruzes desenhadas com sangue à sua volta em Cuiabá. Juberlandio foi preso um mês após o crime escondido em São Paulo.

“Ante o exposto, com fundamento no artigo 413 do Código de Processo Penal, pronuncio o denunciado Juberlandio Diniz Alvarenga para ser submetido a julgamento pelo Tribunal do Júri, como incurso no crime de homicídio qualificado por motivo torpe, através de meio cruel e por recurso que dificultou a defesa da vítima”, decidiu a magistrada.

A defesa do assassino tentou impedir que ele fosse julgado pelo Tribunal do Júri, alegando que não havia elementos que comprovasse a autoria do crime. Entretanto, os argumentos foram negados, pois o corpo da vítima estava na casa do acusado e o assassino contou sobre a execusão em depoimento informal.

“Sobre a vítima ter sido deixada em posição de cruz, relatou que a deixou no chão do jeito que caiu, contudo, foi responsável pelo desenho das 03 (três) cruzes na parede”, disse em depoimento informal.

Nos autos, a magistrada trouxe uma parte do depoimento de L.R.S., neta do proprietário da casa em que o executor alugava, do momento em que o corpo de Roger foi encontrado. Segundo a testemunha, a ex-esposa do assassino alegou que estava tendo visões com sangue , então as duas foram até a casa de Juberlandio e encontrou a vítima já com inchaços.

Uma outra testemunha, Z.M.P., contou que já trabalhou com Juberlandio em um frigorifico e foi atingido por cinco golpes de faca sem saber o motivo do ataque.

E além disso, para sustentar a decisão, a magistrada trouxe a denúncia o qual relatou que o crime foi movido pelo o ódio a homossexuais e também, o laudo da necropsia, identificou que os golpes de faca causaram sofrimento desnecessário à vítima.

A magistrada também citou que Juberlandio é reincidente no crime contra a vida e ele se identifica como “serial killer” em aplicativo de conversa.

RELEMBRE

Um jovem homoafetivo Roger André Soares da Silva, de 29 anos, foi brutalmente assassinado em 22 de abril de 2022, no bairro Parque Cuiabá, na capital mato-grossense. Ele levou mais de 30 facadas e teve o corpo colocado em formato de crucifixo. Após o crime, o suspeito fugiu para São Paulo, onde foi preso um mês depois.

Além de matar o rapaz, o criminoso ainda usou o sangue da vítima para desenhar três cruzes nas paredes do local do crime. O corpo foi encontrado por volta das 16h pela filha do proprietário da casa onde o jovem foi encontrado. Ele já estava em situação de rigidez cadavérica, apontando ter sido morto, possivelmente, pela manhã.

 
 
Cuiabá MT, 21 de Maio de 2024