Cuiabá, 19 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Judiciário Sexta-feira, 30 de Setembro de 2022, 17:31 - A | A

Sexta-feira, 30 de Setembro de 2022, 17h:31 - A | A

ATÉ A ÚLTIMA INSTÂNCIA

Neri recorre ao STF para derrubar decisão que cassou sua candidatura

Da Redação

O deputado federal cassado Neri Geller (PP) ingressou com uma reclamação no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar reverter a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que indeferiu seu registro de candidatura indeferido. O recurso foi protocolado nesta sexta-feira, 30 de setembro, e ainda não foi definido um relator para analisar o pedido.

Essa é uma das últimas tentativas de Neri para tentar conseguir o seu registro e impedir que seus votos sejam anulados. Em vídeo publicado nas redes sociais, ele voltou a insinuar que alguém agiu nos bastidores para que o TSE impedisse sua candidatura e demonstrou confiança de que irá reverter a situação.

 

“Acabei de falar com meu advogado e ele entrou com um recurso no STF. Nós vamos reverter! Meu nome está na urna e por isso peço que continuem pedindo voto. Viram que estávamos passando nas pesquisas e vamos ganhar nas urnas. Tentaram mais uma vez me derrubar. Vamos consolidar as eleições nas urnas”, afirmou.

Além do registro da candidatura indeferida, Geller também busca reverter a cassação do seu mandato como deputado federal e sua inelegibilidade por oito anos.

O TSE decidiu indeferir o registro de candidatura de Neri Geller ao Senado em cumprimento a uma determinação do mesmo tribunal, que cassou o mandato de deputado federal do progressista em agosto deste ano. Geller foi cassado por abuso de poder econômico durante a campanha eleitoral de 2018 e se tornou inelegível por 8 anos.

A defesa de Geller tentou recorrer da decisão e manter sua candidatura, alegando que a inelegibilidade teria acontecido após o prazo limite para impugnação do registro de candidatura. Porém, o argumento não foi aceito pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) e nem pelo relator do processo no TSE, ministro Raul Araújo.

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, comentou em entrevista à imprensa que o nome do candidato aparecerá nas urnas, mas seus votos serão considerados anulados até que haja uma decisão favorável ao progressista.

 
Cuiabá MT, 19 de Junho de 2024