Cuiabá, 18 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Opinião Sábado, 29 de Outubro de 2022, 10:33 - A | A

Sábado, 29 de Outubro de 2022, 10h:33 - A | A

José Alexandre Junior

Dia mundial de conscientização sobre o AVC

José Alexandre Junior

Neste dia 29 de outubro celebramos o Dia Mundial de Combate ao AVC (Acidente Vascular Cerebral). Doença que já é considerada a segunda maior causa de óbitos no mundo e a principal causa de incapacidade de adultos. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) a cada 6 segundos, independente da idade ou sexo, alguém em algum lugar no mundo morre de AVC.

No Brasil o AVC ele também é a segunda causa de morte, só perdendo para o infarto, conforme dados do Ministério da Saúde, com 400 mil casos/ano e mais de 100 mil óbitos. A cada 5 minutos ocorre uma morte em nosso país causada por AVC.

 

Mas o que é o AVC? O AVC é uma alteração súbita do fluxo sanguíneo cerebral, ocorrendo comprometimento de circulação de sangue em alguma região do encéfalo (composto pelo cérebro, cerebelo e tronco encefálico). Essa alteração do fluxo sanguíneo pode ser causada por duas razões, um entupimento (AVC isquêmico) ou um vazamento nas artérias (AVC hemorrágico).

O AVC isquêmico é o mais comum, presente em cerca de 85% dos casos, ocorre quando existe uma obstrução ou redução brusca do fluxo sanguíneo nos vasos sanguíneos.

Segundo o médico neurologista, Dr. José Alexandre Junior, em geral os principais sintomas do AVC são fraqueza ou formigamento na face, braço ou na perna, especialmente em um lado do corpo; confusão mental; alteração da fala ou compreensão; alteração na visão, alteração no equilíbrio, coordenação, tontura ou alteração no andar; dor de cabeça súbita, intensa, sem causa aparente.

“Em geral 90% dos Acidentes Vasculares Cerebrais são causados por fatores modificáveis, como a hipertensão, obesidade, tabagismo, entre outros”, ressalta o Médico Neurologista.

No tratamento do AVC cada minuto pode fazer muita diferença. Dr. José Alexandre Jr alerta que ao identificar qualquer um dos sintomas acima o correto é levar o paciente o mais rápido possível ao hospital, para que o tratamento seja iniciado imediatamente, pois o tratamento ocorrido nas primeiras horas do aparecimento dos sintomas, pode reduzir as sequelas e proporcionar ao paciente uma recuperação mais rápida e redução dos déficits causados pela doença.

José Alexandre Junior é médico neurologista

 
 
Cuiabá MT, 18 de Junho de 2024