Cuiabá, 13 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Opinião Quarta-feira, 09 de Novembro de 2022, 17:49 - A | A

Quarta-feira, 09 de Novembro de 2022, 17h:49 - A | A

NAYARA CERUTTI*

Infeliz geração da comparação

Nayara Cerutti*

Nossa mente é preparada para comparar com os outros desde a infância. Somos instruídos a sermos assim por nossos pais, amigos ou mesmo professores.

Quem nunca ouviu, porque você não segue o exemplo da sua irmã, olha como ela se comporta melhor. Ou então, porque você está sempre com o cabelo despenteado, você poderia ter puxado a mim e ser mais vaidosa. A regra, ou o extinto humano nos induz para este caminho, e nos primeiros anos de vida, serve como um instrumento para ilustrar de forma mais fácil como poderíamos ser melhores na visão do comparador.

 

Mas, sabia que existem limites saudáveis de comparação. Ultrapassar esta fronteira, pode significar infelicidade a vista ou mesmo a desvalorização de quem realmente somos ou deveríamos ser. O exercício para evitar dolorosas comparações é saber que você é única, ou único, que você tem qualidades incríveis, e em alguns aspetos tem também pontos fracos que são passíveis de melhoria desde que você queira.

Afinal, vivemos em constante evolução, e nesta caminhada a perfeição passa longe. Mas, é divino ou maravilhoso termos maneiras únicas, ao nosso modo, e aprender a valorizar nossa identidade, nossa individualidade vai ampliar o sucesso em todos os campos da nossa vida por exemplo: Nas relações amorosas, no trabalho, no propósito e sonhos.

E quando saber que a comparação excedeu o limite? Simples, quando ela é uma constante, quando você se comparar sempre. Quando a sua motivação é para obter reconhecimento do outro e não por você mesmo. É como se a mente já estivesse programada a tal ato, e a liberação toxica vem rápida como o disparo de um gatilho. E a tal comparação excessiva é um veneno que corre rapidamente pelas nossas veias que surge muitas vezes de moto sutil, mas é altamente destruidor.

Identifique, filtre, reprograme sua forma de se enxergar e evite a todo custo se comparar.

O hábito de se sentir única(o), amado por Cristo fortalece seu amor-próprio e torna isso em seu completo favor. Enquanto aos outros, se inspire!!! Se você é sedentária, sim, se inspire com alguém que pratique exercícios rotineiramente. Se você abusa de alimentos nada saudáveis ou álcool, se inspire e modele em alguém que já aboliu esses excessos, e tenha atitude.

Se você está descuidada com a aparência, e sabe que precisa dar uma repaginada, se inspire em alguém que não tem tabu em fazer harmonização facial e principalmente parar de criticar quem faça. Esse é o equilíbrio para parar de sofrer e se menosprezar e começar a agir. Aí você ganha leveza, felicidade e sucesso ao entender que a melhor comparação que você poderá fazer é entre você no passado com a pessoa que se tornou no presente e a que será no futuro.

Não faça competições com o outro, mas faça contigo! O compromisso é com você, com sua felicidade, com sua espiritualidade, e com tudo o que Deus te presenteou, a joia rara que você é e ainda nem percebeu. Permita-se, deixe aflorar quem você pode ser, mude o verbo, comparar, pelo inspirar e agir. Tornar-se alguém melhor de dentro para fora, é assumir a autorresponsabilidade, você está assim hoje, melhor ou nem tanto da forma que gostaria, porque se trata de uma escolha, e ela parte de você.

Seus atos dependem de você, busque sua força interior e estabeleça metas, como? Comece pelo que é essencial, jogue fora os excessos que te sobrecarregam e foque no que trará resultados. Compre menos roupas, mas compre melhor, qualidade é melhor que quantidade, ou encurte as refeições básicas do dia a dia naquele lugar de sempre, e priorize o novo, frequente um bom restaurante que você tem desejo de ir a muito tempo e não vai. Dê mais atenção as amizades que te inspiram e cada vez menos nas que te esgotam a energia, não busque procedimentos faciais pela promoção, mas sim pelo resultado e qualidade.

Essas sugestões práticas revelam que tudo é uma questão de escolha, faça a sua, e depois se compare, com você mesma. E se surpreenda ao frear a insatisfação que te consome.

Quando se olhar no espelho, ame a pessoa refletida nele e deseje ser cada vez mais você mesma, ajude a reconstruir a nossa geração que está doente de tanta comparação, precisa de amor e necessita de mudanças.

*NAYARA CERUTTI é odontóloga com atuação em harmonização

 
Cuiabá MT, 13 de Junho de 2024