Cuiabá, 20 de Maio de 2024
Icon search

CUIABÁ

Opinião Segunda-feira, 04 de Março de 2024, 08:54 - A | A

Segunda-feira, 04 de Março de 2024, 08h:54 - A | A

FRANCISNEY LIBERATO

O líder solitário

Francisney Liberato*

O líder pode até ser solitário, mas deve se cercar de bons conselheiros.
Exercer a liderança é para os mais fortes! O líder executa diversas funções e atividades, e para isso ele deve ser um colaborador completo e apoiar a sua equipe para buscar incessantemente o resultado.

Entretanto, para começar os trabalhos, o líder deve pensar sozinho as propostas e a filosofia de trabalho da entidade. Depois, poderá discutir com todos os envolvidos. Se for tomar uma decisão, sugiro que os envolvidos sejam comunicados. Se há problemas de relacionamento na organização, é da responsabilidade do líder superar essa situação. Se é para demitir, vá ele novamente assumir o posto. Se for para gerar mais resultados, o líder será o protagonista do assunto. O peso da responsabilidade e a carga mental e emocional estão sobre o líder. Tudo em uma organização gira em torno de interesses institucionais ou pessoais.

Perceba os pontos elencados acima, o quanto o líder é um ser humano solitário? É preciso entender que ele é um ser humano como qualquer outro, que tem qualidades e limitações. E nem sempre as suas decisões e metodologia de trabalho agradarão a todos.

Para isso, o líder precisa estar cercado de indivíduos confiáveis e justos, os quais lhe digam a realidade dos fatos, pois quando se está em um cargo de direção nem sempre se mostra perceptível a opinião dos colaboradores e dos demais dirigentes.

Esses indivíduos precisam dizer a verdade nua e crua, sem meios-termos, devem ser transparentes com o líder, e não devem ter receio de ser prejudicados ou perseguidos por relatar fatos. Pessoas que não tenham medo de aborrecer ou ofender o líder, se for o caso.

A escolha de pessoas confiáveis e leais, para o líder, deve ser com extrema cautela, uma vez que deverá ter cuidado de não permitir que bajuladores entrem nesse rol de indivíduos que lhe digam apenas o que quer ouvir, floreiem a realidade, não são confiáveis, o critiquem por trás, não se importam com você e têm apenas interesses próprios etc.

A fim de evitar que ele seja ainda mais solitário e atraia pessoas não confiáveis a sua volta, ele deve prestar muita atenção sobre dois pontos: a vaidade, até certo ponto, é saudável, devido ao cuidado especial dispensado e ao desejo de sempre melhorar. O narcisismo, aquele que tem excesso de grandeza, está acima de todos, deturpador, antidemocrático etc., nesse caso deve-se se atentar para não fracassar.

Você é líder? Já se sentiu solitário alguma vez? Se cerca de bons conselheiros? Saiba que se você decidiu assumir essa responsabilidade é porque você é capaz e pode fazer o seu melhor pelos seus colaboradores e empresa em que trabalha.

Solitário, sim, mas sozinho, nunca!

*Francisney Liberato é Auditor do Tribunal de Contas. Escritor. Palestrante. Professor. Coach e Mentor. Mestre em Educação. Doutor Honoris Causa. Bacharel em Administração, Bacharel em Ciências Contábeis (CRC-MT) e Bacharel em Direito (OAB-MT). Membro da Academia Mundial de Letras. Autor dos Livros: “Mude sua vida em 50 dias”, “Como falar em público com eficiência”, “A arte de ser feliz”, “Singularidade”, “Autocontrole”, “Fenomenal”, “Reinvente sua vida”, “Como passar em concursos – Vol. 1 e 2”, “Como falar em público com excelência”, “Legado”, “Liderança”, “Ansiedade”, “Mude sua vida em 50 dias Premium”, “Inteligência Emocional”, “Manual do Concurseiro”, “Sabedoria”, “Discípulos”, “Educação Financeira”, “Recordar é Viver” e “Manual de Oratória”. www.francisney.com.br

 
 
 
 
 
 
 
 
Cuiabá MT, 20 de Maio de 2024