Cuiabá, 18 de Julho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Opinião Quarta-feira, 30 de Junho de 2021, 11:32 - A | A

Quarta-feira, 30 de Junho de 2021, 11h:32 - A | A

EDITORIAL

Um gesto patriótico

Diante dos sucessivos recordes em abstenção vacinal, Cuiabá tomou uma medida acertada. Resolveu implantar uma versão atualizada da ‘xepa’ da vacinação, que era praticada em outros estados, mas não aqui, devido à programação para preencher as vagas adequadamente. Com isso, quem fizer o cadastro e não comparecer perderá sua vez, mas não prejudicará a população como um todo. Afinal, vacinação é um compromisso coletivo de saúde pública. De nada valem as doses estocadas. Só venceremos o coronavírus quanto tivermos uma parcela significativa da população imunizada.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias em tempo real (clique aqui).

Contudo, urge arguir os motivos que têm levado tantas pessoas a desistirem da vacinação, mesmo ela sendo o método mais eficaz para conter o avanço do coronavírus e, consequentemente, a retomada de nossa vida normal. Tal comportamento é de uma irresponsabilidade criminosa, pois expõe toda a sociedade ao risco. Não há razão que justifique a ausência de uma pessoa quando chega seu dia de vacinar, exceto casos extremos de doenças ou acidentes.

Nem mesmo há como se questionar a eficácia das vacinas. Mato Grosso já está colhendo resultados e vê com seus próprios olhos o resultado da vacinação sobre a mortandade da população idosa. Antes do começo da imunização, o grupo de pessoas com mais de 61 anos representava cerca de 70% das mortes por covid-19. No último mês, esse grupo passou a representa cerca de 38% dos óbitos por covid, com melhores resultados na população acima de 80 anos, que iniciaram a vacinação primeiro.

Para pôr fim ao flagelo da pandemia, precisaremos alcançar o patamar de 70% das pessoas vacinadas, se não mais. E ainda estamos tão longe disso. Dados do Ministério da Saúde mostram que só 36,4% dos mato-grossenses receberam a primeira dose. Aqueles que completaram o esquema vacinal, com as duas doses, são ainda menos: 12,69%. Diante desses dados, não é de se espantar que o número de casos e óbitos por covid-19 em Mato Grosso tenha se estabilizado em um patamar tão alto, já que a maior parcela da população continua suscetível à infecção.

Antes da pandemia de covid-19, o Brasil era considerado um modelo para o mundo nas campanhas de vacinação, com adesão em massa de todos os cidadãos. Agora, há quem escolha a marca da vacina que quer receber, quando não deixa de comparecer por acreditar que será instalado um chip ou qualquer outra mentira deste tipo. A desinformação atingiu um nível alarmante neste período de pandemia, por razões meramente político-ideológicas.

Recusar uma vacina é, acima de tudo, um desrespeito à memória de mais de 514 mil brasileiros que perderam suas vidas para esse terrível vírus, entre os quais estão quase 12 mil conterrâneos mato-grossenses. Não precisamos adicionar mais números a esta tragédia. Vacinar-se é um gesto patriótico e de amor ao próximo. Faça sua parte!

Cuiabá MT, 18 de Julho de 2024