Cuiabá, 21 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Polícia Sexta-feira, 16 de Setembro de 2022, 16:26 - A | A

Sexta-feira, 16 de Setembro de 2022, 16h:26 - A | A

OPERAÇÃO NATURA CLAMAT

Ação integrada entre polícias identifica área de desmate ilegal em MT

Assessoria | Polícia Civil-MT

Investigação da Polícia Civil de Mato Grosso, por meio da Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema), em conjunto com a Gerência de Operações Especiais (GOE), identificou a prática de desmatamento e queimada ilegais em áreas rurais de Nova Bandeirantes (1.026 km de Cuiabá).

O caso foi investigado na operação “Natura Clamat”, deflagrada na última quinta-feira (08.09). A ação no município, localizado no Norte de Mato Grosso, durou três dias. Conforme a apuração, houve participação de servidores da Prefeitura Municipal, que faziam a abertura de estradas em regiões próximas às fazendas.

 

Foram encontrados caminhões e máquinas, com a logomarca da Secretaria Municipal de Obras de Nova Bandeirantes, efetuando o desmate e queimada ilegal, bem como identificado que uma das propriedades pertence a um parente do atual prefeito do município.

Ao todo, sete pessoas que faziam a abertura de estradas e criação de loteamento sem autorização da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), e sem planejamento legal para a execução dos trabalhos, foram conduzidas até a Delegacia de Polícia para esclarecimentos.

Nos interrogatórios, um dos envolvidos, de 20 anos, servidor da Secretaria Municipal de Obras, assumiu a responsabilidade pelo dano ambiental, e afirmou ser o autor da ordem dos trabalhos para abertura de estradas sem a devida autorização legal.

A delegada titular da DEMA, Liliane de Souza Santos Murata Costa, explicou que, conforme mapas do Sistema de Monitoramento de Desmatamento e Queimadas do Estado, a região faz parte do Bioma Amazônico. Todavia, no último ano a área foi completamente devastada.

O inquérito policial instaurado pela DEMA está em fase final de conclusão, sendo identificados os autores do crime que serão responsabilizados pelo dano ambiental e pelo ilícito penal, além do crime de responsabilidade e contra a administração pública ambiental do Estado de Mato Grosso.

“O dano causado a flora será valorado pela Perícia Oficial e Identificação Técnica e encaminhado à Secretaria Estadual do Meio Ambiente o mais breve possível, para procederem também as providências administrativas objetivando o combate ao desmatamento e queimada ilegal”, destacou a delegada.

Além do desmatamento também foram realizadas queimadas ilegais, causando a destruição da flora local.

Liliane Murata salientou que não é contra o crescimento regional local. Contudo, o crescimento e desenvolvimento local, quando envolve biomas mato-grossenses, devem ser feitos com autorização do órgão responsável pelo meio ambiente, a fim de minimizar os impactos ambientais e, neste caso, tudo fora feito de forma ilegal e arbitrária, razão que levou a Polícia Civil a investigar o caso e autuar os criminosos.

Nome da operação
A operação denominada “Natura Clamat” é uma expressão em latim que significa a “Natureza Chora”.

 
Cuiabá MT, 21 de Junho de 2024