Cuiabá, 23 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Polícia Sábado, 18 de Maio de 2024, 10:37 - A | A

Sábado, 18 de Maio de 2024, 10h:37 - A | A

SALVA DUAS VEZES

Mulher pede ajuda de médica para denunciar violência doméstica

Da Redação

Uma mulher de 25 anos pediu ajuda a uma enfermeira da UPA do Jardim Leblon, em Cuiabá, nesta sexta-feira, 17 de maio, para denunciar o próprio marido por violência doméstica. O suspeito, de 35 anos, estava na recepção da unidade de saúde quando foi preso em flagrante por lesão corporal, ameaça e injúria. Ele já possui outras passagens criminais e foi denunciado pela mulher em 2013, mas eles ainda mantinham um relacionamento.

Segundo as informações do boletim de ocorrência, a equipe da UPA acionou a polícia, que, no local, conversou com a vítima, que confirmou a denúncia. Ela contou que convive com o suspeito há 10 anos, e que o casal possui três filhos. Durante o período de relacionamento, a jovem contou que sofreu violência doméstica e até o denunciou em 2013, mas que mantiveram a relação.

Ela contou que aguentava as agressões por conta dos filhos, mas que na última quinta-feira, iniciou uma discussão por motivos fúteis e, ao dizer que iria embora de casa, o suspeito reagiu de forma violenta. Ele teria se apossado de uma marreta, ameaçado matá-la e depois a enforcou, derrubando-a no chão.

O suspeito ainda teria lhe dado um soco na perna direita, o que causou hematomas em seu corpo, e a ofendeu com palavras de baixo calão. Neste momento, os filhos do casal começaram a pedir ajuda para os vizinhos, e uma vizinha tentou ajudar, mas o homem teria ameaçado matar a mulher a marretadas.

A vítima conta que começou a reclamar de dores para o suspeito e conseguiu que ele a levasse ao médico. Foi nesse momento que pediu socorro à médica plantonista, que avisou as atendentes para que acionassem a polícia. Diante dos fatos, o suspeito foi encaminhado ao Plantão de Violência Doméstica e Sexual contra a Mulher.

Foi verificado que o homem tem antecedentes criminais por porte ilegal de armas e violência doméstica, além de receptação, ameaça, uso ilícito de drogas, dano e associação para o tráfico de drogas.

A vítima solicitou medida protetiva e pediu apoio para retirar as coisas da casa onde mora.

 

 
 
Cuiabá MT, 23 de Junho de 2024