Cuiabá, 22 de Julho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Política Quarta-feira, 07 de Abril de 2021, 10:40 - A | A

Quarta-feira, 07 de Abril de 2021, 10h:40 - A | A

PREVISÃO DE ATRASO

Anvisa vai enviar missão à Rússia para analisar Sputnik V

Gabriel Soares e Jefferson Oliveira

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) enviará uma comissão técnica à Rússia para avaliar as instalações da fábrica da vacina Sputnik V. O imunizante já foi adquirido pelo governador Mauro Mendes (DEM) e mais 10 gestores estaduais, mas ainda não tem aval da Anvisa para uso no país. A informação foi confirmada na tarde desta terça-feira (6) pelo diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres.

Na tarde desta terça, Mendes e os outros 10 governadores estiveram reunidos com a diretoria da Anvisa em um encontro virtual para debater os trâmites burocráticos para importação da vacina. Juntos, eles negociaram a compra de pelo menos 66 milhões de doses da Sputnik V, com previsão de entrega do primeiro lote já no final de abril.

Mendes anunciou, na última quarta-feira (31), a compra de 1,2 milhão de doses da Sputnik V. A ideia é importar a vacina diretamente da Rússia, como forma de acelerar o programa de vacinação contra a covid-19.

“Foi uma compra direta destes estados junto ao fundo russo e tomamos a providência para que tivéssemos a liberação da Anvisa para essa importação dessas vacinas”, disse Mendes, antes da reunião.

O governo federal também tem interesse na vacina russa. O próprio presidente Jair Bolsonaro intermediou nas negociações, conversando com o presidente Vladimir Putin. A ideia de Bolsonaro é importar os insumos para produção em território nacional, em parceria com a farmacêutica União Química.

“Temos nesse contato que o presidente acabou de realizar com o presidente Putin a confirmação do envio da nossa missão, uma missão de vigilância sanitária à Rússia para que possamos efetuar a inspeção nas instalações de produção, tanto de insumo quanto da própria vacina”, afirmou Barra Torres.

A visita da Anvisa à fábrica da Sputnik V na Rússia ainda não tem data para acontecer. Os detalhes serão acertados em reunião que acontecerá nesta quarta-feira (7). Segundo Barra Torres, a visita é essencial para esclarecer alguns pontos fundamentais sobre a produção da vacina e para liberar seu uso no país.

EFICÁCIA

Produzida pelo instituto russo Gamaleya, a Sputnik V é a quarta vacina a ter resultados da fase 3 de testes publicados em uma revista cientifica, depois da Pfizer/BioTech, Oxford/AstraZeneca e a Moderna. Isso significa que os dados foram revisados e validados por outros cientistas.

A vacina russa registrou eficácia de 91,6% contra casos sintomáticos de covid-19. Para chegar ao resultado, foram analisados dados de 19.866 voluntários que receberam a primeira e a segunda dose, com período de 21 dias entre as aplicações. Desses, 14.964 tomaram a vacina. Outros 4.902 receberam um placebo.

O imunizante também mostrou 100% de eficácia contra casos moderados e graves de covid-19. Os dados sobre a vacinação de idosos também são positivos: a eficácia geral chega a 91,8% neste grupo.

Cuiabá MT, 22 de Julho de 2024