Cuiabá, 13 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Política Sexta-feira, 02 de Setembro de 2022, 16:13 - A | A

Sexta-feira, 02 de Setembro de 2022, 16h:13 - A | A

INTERVENÇÃO NA SAÚDE

Emanuel diz que presidente do Sindimed é "parceiro do ócio" e que greve é eleitoreira

Da Redação

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), acionou a 'metralhadora de críticas' ao presidente do Sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed/MT) e acusou o movimento grevista de agir com cunho eleitoral. Durante entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (2), Emanuel acusou o presidente do sindicato, Givaldo Alves de Oliveira, de ser um “parceiro do ócio”, que não gosta de trabalhar e por isso foi para a via sindical.

“Quando eu cobro deles, que eles trabalhem, eles começam a fazer uma razão montada, casada, um joguinho casado, claramente um combinado em virtude do mês eleitoral, entre o Sindicato dos Médicos e o procurador-geral de Justiça do Estado de Mato Grosso”, disse o prefeito.

O gestor da capital ainda disse que a decisão do sindicato em deflagrar greve a partir da próxima segunda-feira (5) é uma “leviandade”, que tem como objetivo atingir a candidatura da primeira-dama Márcia Pinheiro (PV) ao governo. Emanuel ainda afirmou que o Sindimed tenta criar um caos que não existe na Saúde de Cuiabá.

 

“Na verdade, quem carrega a saúde do estado das costas é Cuiabá. Então, nós temos que enfrentar isso com muita altivez. Não devemos nada, não temos nada a temer, não fizemos nada errado. Se, porventura, algum problema tiver, muito típico de toda e qualquer gestão, estamos prontos para acertar e tomar as medidas necessárias”, garantiu o gestor.

O prefeito também disse que a diretoria do sindicato, “um pequeno número de médicos”, não tem legitimidade e atua a mando político do grupo do atual governador do Estado. Segundo Emanuel, essa diretoria só quer direitos e é incapaz de produzir resultados. Nas palavras do prefeito, o grupo vê o serviço público “um bico e não como uma missão”.

Emanuel ainda seguiu afirmando que os salários estão em dia e que “talvez seja o único movimento grevista, do Brasil que não fala em atraso ou aumento de salário”. Ele também prometeu mostrar a ficha funcional dos médicos que compõem o sindicato, alegando que eles são “campeões da preguiça e do ócio”.

Cuiabá MT, 13 de Junho de 2024