Cuiabá, 22 de Maio de 2024
Icon search

CUIABÁ

Política Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2024, 18:26 - A | A

Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2024, 18h:26 - A | A

CLIMÃO NO UNIÃO

Garcia se esquiva sobre apoio a Botelho: "ninguém pode me cobrar lealdade"

Da Redação

O secretário-chefe da Casa Civil, Fábio Garcia (União), se esquivou ao ser questionado pela imprensa se iria apoiar a candidatura do presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (União), para a Prefeitura de Cuiabá. Em conversa com jornalistas nesta quinta-feira, 22 de fevereiro, Garcia afirmou que ninguém pode questionar sua fidelidade ao partido e que irá “dialogar sobre Cuiabá” no futuro.

Botelho e Garcia disputavam internamente no União Brasil pela pré-candidatura a prefeito de Cuiabá. Na última semana, o presidente estadual do partido, governador Mauro Mendes, anunciou que Botelho será o candidato do grupo.  

“Olha, como vocês sabem, eu fiz uma construção bastante leal ao partido político que eu pertenço. Então, eu acredito que não há como ninguém me cobrar, nesse momento, lealdade ao partido. Eu vou conversar sobre Cuiabá, no momento certo”, disse Garcia, ao ser questionado se apoiaria Botelho.

“As convenções vão acontecer em julho, portanto tem tempo para conversar sobre Cuiabá, para dialogar com as pessoas que me ajudaram, que me apoiaram nesse processo. Então, vamos dar um pouco de tempo ao tempo”, emendou.

Apesar de se esquivar das questões sobre seu apoio a Botelho, Garcia garantiu que não está magoado com a escolha. O chefe da Casa Civil tinha um compromisso de apoio com o governador Mauro Mendes, mas acabou sendo preterido em favor de Botelho, que tinha apoio da maioria dos membros do partido.

“Não tô magoado, já me posicionei sobre isso aí nas minhas redes. Agora, eu tô trabalhando nessa função como chefe da Casa Civil”, afirmou.

“Essa era a definição do partido, de que o governador Mauro Mendes teria o poder da decisão em Cuiabá. Foi feito um compromisso sobre essa questão e esse compromisso foi cumprido pelo governador Mauro e aceito por todos”, complementou.

O chefe da Casa Civil afirmou ainda que não conversou com Botelho sobre a pré-candidatura, mantendo apenas o contato institucional para acompanhamento dos projetos de interesse do governo que tramitam na Assembleia.

Fora da disputa pela Prefeitura, Garcia afirmou que irá trabalhar para fortalecer seus companheiros que o ajudaram no processo de decisão do partido.

“Não quero deixar nenhum companheiro meu para trás nesse processo. Vou dialogar bastante com eles, com todo o respeito, consideração e gratidão com todos aqueles que estavam comigo, me apoiando nesse processo”, concluiu.

 
 
Cuiabá MT, 22 de Maio de 2024