Cuiabá, 22 de Julho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Política Sexta-feira, 19 de Março de 2021, 15:08 - A | A

Sexta-feira, 19 de Março de 2021, 15h:08 - A | A

CATTANI NA AL

Novo deputado defende reabertura de butecos durante a pandemia

Jefferson Oliveira

Diplomado deputado estadual na manhã desta quinta-feira (18), Gilberto Cattani (PSL) defendeu o fim das restrições mesmo no auge do período de pandemia e disse que vai lutar pelo pequeno agricultor, classe à qual ele faz parte.

Em conversa com jornalistas, Cattani se mostrou defensor da linha seguida pelo presidente Jair Bolsonaro, assim como seu antecessor, Silvio Favero, que morreu no último sábado (13), vítima da covid-19.

Gilmar defendeu a abertura consciente no comércio, para que os empresários não fechem as portas e funcionários não fiquem sem ter o que comer. O deputado defendeu que os irresponsáveis sejam penalizados.

“A pessoa que vai no boteco tem que ter a responsabilidade. Elas têm o direito de ir e vir e saber que estão na pandemia e ser responsabilizadas. O boteco tem que seguir as normas que a saúde orientar. Você não pode fechar a economia e matar as pessoas de fome porque existe alguns irresponsáveis. É preciso corrigir os erros e não matar de fome. Você tem que ter coerência”, disse, em sua primeira entrevista como deputado.

Já em relação aos pequenos agricultores, Cattani diz que sua chegada à Assembleia é uma vitória para a classe, que terá um representante no parlamento. Produtor de queijo em Nova Mutum, Gilberto Cattani é assentado do Pontal do Marape e tem como principal bandeira “uma reforma agrária que funcione”.

Para o novo deputado, a reforma agrária foi deturpada com a implantação do socialismo no Brasil, coisa que nunca aconteceu no país. Para sustentar o discurso, Cattani citou que a cidade de Lucas do Rio Verde teria começado como um assentamento rural nos anos de 1980 e hoje tem os maiores produtores de grãos do país.

“Aquele sistema de reforma agrária funcionava, porque era uma chance de o pequeno produtor se tornar grande, pois ele recebia o seu documento de posse de propriedade. Depois que o nosso país tomou o rumo socialista, foi tomado o direito do pequeno produtor. Então os assentamentos se tornaram verdadeiras favelas rurais. Quando falo de reforma agrária, falo da reforma legítima, criada no tempo do regime militar [ditadura], mas que foi deturpada pelo socialismo”, pontuou.

Cuiabá MT, 22 de Julho de 2024