Cuiabá, 13 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Política Terça-feira, 20 de Setembro de 2022, 11:22 - A | A

Terça-feira, 20 de Setembro de 2022, 11h:22 - A | A

CHUMBO TROCADO

Pinheiros acusam Mauro de usar filho como laranja e propõem quebra de sigilo fiscal e bancário

A candidata ao governo do Estado, Márcia Pinheiro (PV), e seu esposo, o prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), acusaram o governador Mauro Mendes (União) de usar o nome do filho como laranja em mais de 30 empresas. A afirmação foi feita durante entrevista coletiva realizada na manhã desta terça-feira, 20 de setembro, na sede do comitê de campanha de Márcia.

A campanha de Márcia convocou a coletiva para anunciar um documento autorizando a quebra de sigilo fiscal e bancário da família da candidata. Segundo eles, essa medida tem o objetivo de passar a limpo as contas da família, pois têm sido acusados com frequência de corrupção durante a gestão de Emanuel na Prefeitura de Cuiabá.

 

“Depois que o Mauro Mendes assumiu o governo do Estado, o filho dele passou a ser sócio de mais de 30 empresas e acumulou um patrimônio de quase 3 bilhões de reais. Estão aqui todas as empresas e as datas em que ele se tornou sócio, todas elas depois que o Mauro Mendes foi eleito ou deixou o governo”, disse Emanuel.

“E que este ato da nossa família seja também feito pelo governador, esposa e seus filhos, que coloquem à disposição a quebra do sigilo bancário e fiscal dele e de todas as suas empresas, para que a gente possa comparar a evolução patrimonial de cada um e a movimentação financeira de cada um. Tudo isso começará a mostrar para a sociedade mato-grossense onde reside a verdadeira corrupção desse estado, que usa seu filho, possivelmente, como laranja”, afirmou Emanuel.

A atitude de Márcia e Emanuel é uma reação às críticas feitas por Mauro, candidato à reeleição, durante entrevista ao programa Tribuna, da Rádio Vila Real, na manhã de segunda-feira, 19. Na ocasião, Mauro afirmou que Márcia é “cara de pau” por se candidatar ao governo e citou que a Justiça Estadual proibiu a primeira-dama de frequentar a Prefeitura de Cuiabá em ação referente à Operação Capistrum, que apura a suposta utilização da Secretaria de Saúde de Cuiabá para fins políticos.

Durante a coletiva, Márcia afirmou que Mauro extrapolou todos os limites com o ataque mais recente. Ela afirmou que tem sido alvo constante de ataques de Mauro, uma atitude que considera machista e preconceituosa, pelo fato de ela ser mulher.

“Não vou permitir que o candidato a reeleição me trate dessa forma, trate a candidata ao governo do Estado de Mato Grosso, onde estou aqui representando todas as mulheres desse estado, dessa forma leviana, arrogante e preconceituosa. Não vou permitir! Não aceito! Vamos discutir no campo das ideias, na questão social de Mato Grosso, na questão administrativa, mas não me ataque”, afirmou Márcia.

“Não vou permitir que ele faça esse tipo de acusação contra minha família, da forma como vem fazendo”, concluiu.

 
Cuiabá MT, 13 de Junho de 2024