Cuiabá, 22 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Política Sexta-feira, 04 de Novembro de 2022, 16:58 - A | A

Sexta-feira, 04 de Novembro de 2022, 16h:58 - A | A

MOBILIDADE URBANA

Prefeito volta atrás e decide não multar veículos irregulares em manifestações

Da Redação

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), decidiu que não irá mais multar os veículos que estiverem estacionados de forma irregular em pontos de manifestações da capital por protestantes que não aceitam o resultado do segundo turno das eleições.

Em nota, o prefeito disse que é defensor do diálogo e respeito e destacou que a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) irá atuar na organização e fluidez do trânsito, garantindo a mobilidade dos munícipes, sem aplicação de multas.

 

“Assevera que apoia o direito às manifestações, desde que sejam pacíficas, ordeiras e que não acarretem em prejuízos a terceiros”, diz trecho da publicação.

No entanto, na quinta-feira, 03 de novembro, ele disse à imprensa que os agentes de trânsito, os amarelinhos, não precisam de determinações do prefeito para atuar em casos em que desrespeitem as normas do Código de Trânsito.

“O que depender da cidade, eu já falei que está à inteira disposição. Eu já autorizei o secretário da Semob, Juarez Samaniego, determinei ao secretário de Governo [Luis Cláudio] que pudesse acompanhar. Toda e qualquer ação na jurisdição, no município de Cuiabá, que depender do prefeito da capital para manter a ordem, a paz social e a ordem pública de uma forma geral podem ter certeza que o prefeito Emanuel Pinheiro não vai prevaricar, não vai se omitir e vai agir em conjunto com as demais forças que garantam o respeito a Constituição e ao Estado Democrático de Direito”, destacou.

Na capital, os manifestantes estão em frente ao 13° Brigada de Infantaria Motorizada, na Avenida Historiador Rubens de Mendonça, Avenida do CPA. Os protestos contra a vitória de Lula (PT) a presidente da República começaram no domingo, 30 de outubro, após o resultado da eleição. 

 
Cuiabá MT, 22 de Junho de 2024