Cuiabá, 22 de Maio de 2024
Icon search

CUIABÁ

Política Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2024, 12:00 - A | A

Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2024, 12h:00 - A | A

LEIS FROUXAS

“Se não combatermos as facções elas irão virar uma metástase”, diz Mendes

Ao comentar sobre o crescimento das organizações criminosas no estado de Mato Grosso, o governador Mauro Mendes disse que é necessário haver mudanças nas leis, caso contrário, os trabalhos executados pela segurança pública é como “enxugar gelo”. Mendes também cita que o crescimento das organizações criminosas no país é um dos maiores problemas enfrentado atualmente.

“Talvez seja um dos mais graves problemas que o Brasil enfrenta e talvez com pouca efetividade ao longo dos anos. Vamos reconhecer o meu esforço, de vários governadores e talvez do próprio governo federal, mas esse esforço está sendo em vão, essas organizações estão crescendo como um câncer em todo país. E esse câncer vai acabar virando uma metástase. Hoje, todas as grandes cidades vivem essa realidade. Temos um dos líderes das grandes facções preso há quase 2 décadas e que está comandando lá de dentro da prisão a facção que continua crescendo”, pontuou. 

Por causa das leis frouxas, Mendes cita que a polícia prende e a justiça solta. “Prendemos um bandido com 300 kg de maconha e dois dias depois, ele está livre na audiência de custódia. E não é porque o juiz quer ou porque é bonzinho. É porque a lei é frouxa e acaba desestimulando a polícia”, diz.  

“Nosso sistema prisional está sucateado, são palavras do Conselho Nacional de Justiça - CNJ. Estamos fazendo um forte investimento em segurança pública, construindo muitas vagas nas prisões, zeramos o déficit penitenciário, investimos em tecnologia, investimos em policiais e compramos tecnologia de ponta, mas isso não é suficiente. Estamos enxugando gelo porque a lei é ineficiente para combater esses criminosos e como eles estão atuando”, lamentou.

Por fim, ele lembra que nos últimos 30 anos, os indicadores na segurança pública só pioraram. E, quem pode, se protege em condômino fechado ou com carro blindado.

“Se a gente não combater de forma mais eficiente essa nova forma de crime organizado do país, lamentavelmente todo os esforços serão em vão. E nos últimos 30 anos, todos os indicadores de segurança pública mostra que todos pioraram. O cidadão está com medo, e tem medo de andar nas ruas. Quem pode, vai pra condomínio fechado e anda de carro brindado. E o criminoso perdeu o medo da polícia e do estado”, analisou.  

 
Cuiabá MT, 22 de Maio de 2024