Cuiabá, 13 de Julho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Política Segunda-feira, 24 de Maio de 2021, 18:44 - A | A

Segunda-feira, 24 de Maio de 2021, 18h:44 - A | A

IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

Secretário volta a criticar vacinação de jornalistas em Cuiabá

O secretário estadual de saúde, Gilberto Figueiredo, criticou o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) e demais gestores municipais que estão criando grupos prioritários de imunização, diferentes dos recomendados pelo Ministério da Saúde. Ele alega que a criação de novos grupos pode resultar na escassez de vacinas e que esses gestores podem responder por improbidade administrativa.

FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias em tempo real (clique aqui).

“Quando algum gestor anuncia a vacina de algum público não previsto no plano, ele está sim fazendo politicagem com assunto que não é da sua autonomia, a exemplo de alguns municípios que hoje faltam a segunda dose. Inclusive, é crime passível de improbidade dos gestores que fazem isso”, explicou Gilberto na manhã desta segunda-feira (24) em entrevista ao jornal da CBN.

Em recente reunião com a comissão gestora bipartite no estado que é a instância de pactuação do SUS, Gilberto disse que deu um socorro de 4.300 doses a mais para Cuiabá e questionou como que fica os outros municípios, com essas doses tendo que ser entregues na capital.

O secretário ainda acrescentou que não há vacinas para todo mundo, há uma priorização e essa priorização não foi feita no achismo e sim de comitês e equipes técnicas que se debruçaram muitos dias para estudar.

Foi analisado o quadro epidemiológico do país e a partir daí, decidido quais seriam os públicos alvos;

“Por isso se iniciou com os mais idosos, que também se imunizou os profissionais da saúde, então não significa gostar mais ou menos de uma categoria. Existem estudos científicos que levaram a essa necessidade de escala”, defendeu Gilberto.

Recentemente, o prefeito Emanuel Pinheiro anunciou a vacinação de assistentes sociais e também de jornalistas como grupos prioritários, estas duas categorias não fazem parte do plano nacional de imunização, assim como os professores que serão imunizados pelo governo do estado.

Em uma entrevista nacional no dia 30 de abril, a coordenadora-geral do PNI, Franciele Francinato, disse que os professores só seriam vacinados provavelmente em junho deste ano, mas não cravou uma data exata.

Cuiabá MT, 13 de Julho de 2024