Cuiabá, 19 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Política Segunda-feira, 31 de Outubro de 2022, 17:03 - A | A

Segunda-feira, 31 de Outubro de 2022, 17h:03 - A | A

ELEIÇÃO DE LULA

Senador pede para Bolsonaro reconhecer derrota em respeito à democracia

Da Redação

O senador Carlos Fávaro (PSD), que atuou como coordenador-geral da campanha de Lula (PT) em Mato Grosso, disse que o reconhecimento do presidente Jair Bolsonaro (PL) sobre sua derrota nas urnas é essencial para legitimar a democracia no país e evitar o agravamento da crise iniciada com o fechamento de rodovias em 18 estados do país.

Além do reconhecimento da vitória do petista, Fávaro destacou que um pronunciamento de Bolsonaro também legitimaria a vitória de seus aliados.

 

“Ao legitimar o resultado das eleições, ele legitima os seus companheiros e com isso nós damos um passo gigante para pacificar esse país, para trabalharmos juntos. Eu não vejo oposição por oposição. Tem diferenças ideológicas, mas que quer o bem do Brasil”, destacou o senador, em entrevista ao site O Antagonista.

Fávaro comentou que o reconhecimento por Bolsonaro, que ainda não se manifestou sobre a vitória de Lula após 20 horas da eleição, possibilitaria a discussão entre agentes de diferentes ideologias nas principais pautas do país, como a questão econômica e o combate à fome.

Aliados do presidente também defendem que ele se pronuncie reconhecendo a derrota e evite qualquer forma de contestação do resultado das urnas.

“Se a gente tratar com responsabilidade que a eleição acabou ontem, reconhecer os vitoriosos, não só o presidente Lula, dezenas de parlamentares de todos os lados políticos venceram as eleições, aí sim nós damos um passo para enfrentar os desafios”, disse.

Fávaro endossou o coro de que o principal desafio de Lula será pacificar o Brasil e trabalhar em ações que possam reconstruir o país.

Lula recebeu mais de 60 milhões de votos, o que representou 50,90% do total, contra 49,10% do seu adversário, Jair Bolsonaro (PL). A diferença de votos entre eles foi de cerca de 2,1 milhões.

 
Cuiabá MT, 19 de Junho de 2024