Cuiabá, 23 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Brasil Domingo, 19 de Maio de 2024, 18:09 - A | A

Domingo, 19 de Maio de 2024, 18h:09 - A | A

540 MIL DESALOJADOS

Governo cogita pagar famílias para abrigar vítimas de enchentes no RS

g1

O ministro extraordinário para Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta, afirmou neste domingo (19) que o governo federal estuda pagar famílias para abrigar vítimas das enchentes no estado.

Pimenta sinalizou que a ideia em estudo prevê um repasse às famílias de R$ 400 por pessoa abrigada. Segundo o boletim mais recente da Defesa Civil gaúcha, o estado tem atualmente mais de 75 mil pessoas em abrigos e mais de 540 mil desalojadas.

Em entrevista a um canal de vídeos na internet, o ministro disse que deve discutir, ao longo dos próximos dias, uma forma de implementar a medida junto ao governo federal.

O Rio Grande do Sul tem enfrentado os desdobramentos de uma catástrofe climática, provocada por fortes chuvas em todo o estado. A Defesa Civil já confirmou a morte de 155 pessoas e ainda contabiliza 89 desaparecidos. Ao todo, mais de 2,3 milhões de pessoas afetadas pelas chuvas.

"Hoje, o Ministério do Desenvolvimento Social paga nos abrigos R$ 20 mil para cada 50 pessoas para a prefeitura. Fora a questão da alimentação, da cesta básica e tudo mais. Isso dá R$ 400 por pessoa, em abrigos públicos. Eu estou discutindo uma mudança dessa portaria para poder, por exemplo, alguém receber uma família ou uma associação comunitária de quatro famílias ou dez famílias [receberam], e esses R$ 400 que hoje é pago para a prefeitura pode ser pago para quem abrigar a pessoa", afirmou Paulo Pimenta.

Segundo Pimenta, a medida tem sido estudada como forma de contornar a superlotação de abrigos no estado. Também tem o objetivo de desocupar espaços destinados à educação, a fim de permitir a retomada gradual das aulas.

"Com isso, a gente tenta trabalhar na perspectiva de descentralizar esses grandes abrigos e fugir dessa loja natais das cidades temporárias", explicou.

Apoio aos desabrigados
Na última semana, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) anunciou uma série de medidas em apoio ao Rio Grande do Sul. Uma das iniciativas prevê a compra de imóveis para famílias que perderam as casas nas enchentes.

Serão beneficiadas as famílias desalojadas que estiverem dentro dos requisitos para as faixas 1 e 2 do programa Minha Casa, Minha Vida. Pelas regras atuais, são verificados os seguintes critérios:

na faixa 1: é formada por famílias que tenham renda bruta familiar mensal até R$ 2.640
na faixa 2: a renda bruta familiar mensal é entre R$ 2.640,01 e R$ 4.400

Lula também anunciou o pagamento único de um benefício de R$ 5,1 mil para famílias que perderam móveis e itens essenciais em suas casas.

O chamado Auxílio Reconstrução será pago via Pix e levará em conta informações da Defesa Civil do Rio Grande do Sul. A expectativa é que sejam beneficiadas cerca de 200 mil famílias.

 
 
Cuiabá MT, 23 de Junho de 2024