Cuiabá, 24 de Julho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Cidades Domingo, 21 de Março de 2021, 18:09 - A | A

Domingo, 21 de Março de 2021, 18h:09 - A | A

PROJEÇÃO

Estudo aponta que casos e internações devem continuar aumentando por até seis semanas

Da Redação

O Brasil ainda terá um aumento considerável de casos e internações nas próximas semanas, de acordo com a projeção passada em reunião da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), da qual o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), participou.

A Vigilância Epidemiológica confirma que na capital mato-grossense também há projeção de aumento da demanda por leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), bem como de internações e mortes.

De acordo com um estudo do Informe Epidemiológico n°10, divulgado na última terça-feira (16), a projeção era que Cuiabá atingia a marca de 61.149 casos confirmados no sábado (20). A projeção se concretizou com um dia de antecedência, com 61.382 casos confirmados na sexta-feira (19), mesmo com a população da Capital e de todo o estado de Mato Grosso convivendo com medidas restritivas, instituídas por decretos, visando conter a propagação do coronavírus.

População precisa ficar alerta

O Informe Epidemiológico nº 10/2021 destaca que não há evidências científicas de que as pessoas que se recuperaram da covid-19 e tenham adquirido anticorpos estejam protegidas contra uma segunda infecção. Isso porque ainda não se sabe qual o nível de proteção ou quanto tempo vai durar. Por isso, a medida mais eficaz de prevenção é manter as medidas de prevenção, como manter o isolamento social, lavar as mãos constantemente ou usar álcool 70%, usar máscara facial da forma correta e manter a higiene das superfícies com que tiver contato.

O secretário-adjunto Felipe Cardoso frisa que esses cuidados ainda serão necessários por um bom tempo, até que a cobertura vacinal necessária para o controle da covid-19 (que é de 70%, no mínimo) seja atingida na população brasileira. “A gente pode fazer de tudo, mas, o colapso é muita gente adoecendo num curto período de tempo. Nenhum país do mundo tem estrutura para suportar essa quantidade de pacientes num curto período de tempo. Então a gente pede a colaboração das pessoas. Consciência hoje salva vidas. Nos ajudem! Mantenham o distanciamento. Não é hora de aglomerar, não é hora de fazer festa. É muito sério o que está acontecendo”, assevera.

Conforme os pesquisadores do Instituto de Saúde Coletiva e dos Departamentos de Geografia e de Matemática da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica de Cuiabá, responsáveis pela elaboração do Informe Epidemiológico da Covid-19, diante da atual taxa de ocupação de leitos no estado e na capital, faz-se necessária medidas mais rigorosas de restrição da circulação de pessoas e das atividades, bem como a testagem de casos suspeitos e seus contatos.

Para colocar em prática os apontamentos, a Secretaria Municipal de Saúde criou uma sala de situação, que planejou uma série de ações que deverão ser anunciadas na próxima semana. Apesar disso, o secretário adjunto de Atenção Secundária alerta de que nenhum esforço do poder público é capaz de frear, sozinho, o avanço da pandemia. “Vocês podem nos ajudar. Procurem os postos de saúde da atenção básica primeiramente, senão a gente superlota as unidades de atenção secundária e terciária, que são as UPAs, as policlínicas e os hospitais. Procurem a referência perto da casa de vocês. Só de fazer isso vocês já vão estar nos ajudando muito! Nós estamos descentralizando os pontos de coleta de RT-PCR, potencializando a atenção primária".

 Com informações da assessoria.

Cuiabá MT, 24 de Julho de 2024