Cuiabá, 18 de Maio de 2024
Icon search

CUIABÁ

Economia Sexta-feira, 09 de Fevereiro de 2024, 07:10 - A | A

Sexta-feira, 09 de Fevereiro de 2024, 07h:10 - A | A

CRISE NO CAMPO

Conab prevê quebra de mais de 15% na safra de soja de Mato Grosso

Da Redação

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) admitiu em seu 5º Levantamento da Safra de Grãos, divulgado nesta quinta-feira, 8 de fevereiro, que haverá uma quebra na safra de soja em Mato Grosso. O boletim aponta para uma queda de 15,3% na produção de soja da safra 2023/24 em relação à temporada anterior. Com isso, a previsão indica que Mato Grosso deve produzir 38,6 milhões de toneladas de soja.

Apesar de já admitir uma queda na produção, os números da Conab são mais conservadores do que o levantamento realizado pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), que indica uma quebra superior a 20% na produção de soja.

Em nível nacional, a Conab prevê uma queda de apenas 5,2 milhões de toneladas na produção de soja, o que representa uma quebra de 3,2% na safra. Na avaliação da entidade, a perda de produção em Mato Grosso e em quase todos os estados brasileiros deve ser compensada pela supersafra no Rio Grande do Sul. A produção de soja gaúcha deve crescer 68,1% este ano, saltando de 13 milhões de toneladas em 2022/23 para 21,8 milhões de toneladas nesta temporada. Porém, essa expectativa ainda depende dos efeitos climáticos e pode ser revista.

“Esses extremos climáticos ocorridos durante o ciclo da soja impactaram diretamente no potencial produtivo da cultura, ocasionando redução na produtividade em praticamente todos os estados produtores. A principal exceção, até o momento, é o Rio Grande do Sul, que após duas quebras de safras consecutivas ainda mantém boas perspectivas de produtividade, mas que depende de condições climáticas favoráveis em fevereiro para se confirmar”, diz o boletim.

A Conab aponta ainda que as chuvas ocorridas em Mato Grosso durante os meses de dezembro e janeiro ajudaram a recuperar parte das lavoras afetadas pela estiagem durante os meses de outubro e novembro, que causaram grandes prejuízos e obrigaram muitos produtores ao replantio da soja.

“Devido à ausência de chuva consistente nos primeiros meses da safra de soja, em boa parte das lavouras, ocorreu redução da produtividade de modo acentuado nos primeiros lotes colhidos. Contudo, as chuvas ocorridas em dezembro e no início de janeiro contribuíram significativamente para a recuperação de parte do potencial produtivo da cultura, acrescentando por um ligeiro aumento no rendimento estadual, porém insuficiente para elevar a produção a um patamar próximo ao da safra anterior”, aponta a entidade.

Segundo a Conab, a produtividade média da soja em Mato Grosso deve ficar em 3.184 quilos por hectare (kg/ha), uma redução de 15,6% em relação à temporada anterior, quando os produtores colheram uma média de 3.773 kg/ha. Já a área plantada deve ter um incremento de 0,4%, atingindo 12,1 milhões de hectares. Com isso, a produção de soja está estimada pela Conab em 38,6 milhões de toneladas.

 
Cuiabá MT, 18 de Maio de 2024