Cuiabá, 21 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Economia Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2022, 10:43 - A | A

Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2022, 10h:43 - A | A

MAIS UM RECORDE

MT aumenta exportações de milho em 67% na safra 2021/2022, aponta Imea

Da Redação

Mato Grosso aumentou suas exportações em 67,55% da safra 2021/2022 entre os meses de julho e novembro deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados na tarde dessa segunda-feira (5) no boletim semanal do milho pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

De acordo com o Imea, foram exportadas 17 milhões de toneladas, um recorde histórico nesse período. “Esse movimento foi pautado pela crescente demanda de milho mundial e menor oferta, o que impulsionou as compras de milho e a abertura de novos mercados”, diz. Já a receita teve alta de 132%, em US$ 4,78 bilhões, influenciada pelas cotações altas.

 

Glauber Silveira, diretor da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho), explica ao Estadão Mato Grosso que o aumento das exportações é uma tendência em MT, pois ano a ano, os produtores batem recordes de produção e precisam vender o cereal, pois não possuem capacidade de armazenar tamanha produção.

Somado a isso, a redução de participação do mercado pela Ucrânia, devido a guerra no país, além de os Estados Unidos não aumentarem sua produção e outros problemas para a produção, beneficiaram os produtores mato-grossenses, que conseguiram abrir novos mercados, como o da China para essa commodity.

Ademais, Mato Grosso tem melhorado sua produtividade por hectare e também aumentado a área de produção. Na próxima safra, 2022/2023, por exemplo, a produção deve aumentar em 17%, saindo de 39,64 milhões de toneladas na safra anterior para 46,41 milhões de toneladas. A área plantada deve sair de 6,22 milhões de hectares para 7,42 milhões.

“A gente vem crescendo em área e em produtividade, então, é normal que a gente possa estar exportando mais milho a cada ano. Esse é o objetivo, a cada ano batendo recorde de exportação de milho de Mato Grosso, esse ano vamos produzir mais e tem que exportar mais também, exportamos para muitos países”, afirma Glauber.

O estado deve exportar ainda mais o cereal, em razão da possibilidade de redução do consumo de milho pelas usinas de etanol devido ao aumento das cotações. De acordo com Glauber, alguns empreendimentos já estão reduzindo a intensidade das ações de olho no movimento das cotações do cereal.

“As usinas de etanol estão bastante preocupadas e recuaram um pouco na sua capacidade de expansão, de ampliação e crescimento. A gente tinha, por exemplo, de três a quatro usinas para serem montadas em Mato Grosso, mas os projetos estão andando bem mais devagar do que deveria por causa da questão do preço do milho”, alerta.

 
 
 
Cuiabá MT, 21 de Junho de 2024