Cuiabá, 22 de Maio de 2024
Icon search

CUIABÁ

Judiciário Sexta-feira, 01 de Março de 2024, 08:36 - A | A

Sexta-feira, 01 de Março de 2024, 08h:36 - A | A

FORÇA DO AGRO

Com supersafra de grãos, PIB do Brasil cresce 2,9% em 2023, diz IBGE

g1

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil cresceu 2,9% em 2023, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (1º).

O resultado final foi muito próximo ao de 2022, quando a atividade econômica brasileira teve alta de 3%. Mais uma vez, o último trimestre do ano mostra uma desaceleração da economia, fechando estável em relação ao trimestre anterior (0%). (veja mais abaixo)

O PIB teve dinâmicas diferentes no primeiro e segundo semestres. Na primeira metade do ano, a atividade econômica foi puxada por uma safra excepcional de grãos. Com o desempenho recorde da produção de soja e milho, a Agropecuária registrou alta de 15,1% no ano, um recorde da série histórica que se inicia em 1996.

A Agropecuária também ajudou o resultado de outros setores, como as exportações (9,1%), a indústria de alimentos e segmentos específicos do setor de serviços, que são beneficiados pela cadeia de produção e logística da produção no campo.

"Mesmo com um peso relativamente pequeno dentro do PIB brasileiro, a Agropecuária contribuiu com um terço de todo o crescimento da economia no ano passado", diz Rebeca Palis, coordenadora de Contas Nacionais do IBGE.

No segundo semestre, o setor de serviços, o principal da economia brasileira, permaneceu resiliente e trouxe sustentação a uma desaceleração gradual da economia por conta do patamar elevado da taxa básica de juros, a Selic.

Novamente, estímulos fiscais dados à economia impulsionaram os números de consumo, caso do reajuste real do salário mínimo e da fixação do programa Bolsa Família no valor de R$ 600. O mercado de trabalho, que chegou a recordes de ocupação, também ajudou a economia a se manter aquecida.

Os serviços tiveram crescimento de 2,4% em 2023. Pelo lado da demanda, o consumo das famílias subiu 3,1%. No quarto trimestre, contudo, os dois quesitos mostraram uma forte desaceleração, em que os serviços cresceram pouco (0,3%) e o consumo das famílias caiu (-0,2%). (saiba mais adiante)

Principais destaques do PIB em 2023:

Serviços: 2,4%
Indústria: 1,6%
Agropecuária: 15,1%
Consumo das famílias: 3,1%
Consumo do governo: 1,7%
Investimentos: -3%
Exportações: 9,1%
Importação: -1,2%

Estabilidade no 4º trimestre
Contra o trimestre imediatamente anterior, o PIB brasileiro apresentou estabilidade (0%).

Principais destaques do PIB em 4º trimestre:

Serviços: 0,3%
Indústria: 1,3%
Agropecuária: -5,3%
Consumo das famílias: -0,2%
Consumo do governo: 0,9%
Investimentos: 0,9%
Exportações: 0,1%
Importação: 0,9%

 
 
 
 
 
Cuiabá MT, 22 de Maio de 2024