Cuiabá, 13 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Opinião Sexta-feira, 30 de Dezembro de 2022, 10:34 - A | A

Sexta-feira, 30 de Dezembro de 2022, 10h:34 - A | A

SANI NEVES

Lá vem 2023!

Sani Neves

É o recomeço pelo começo simbólico, mas necessário e empolgante de um novo ciclo que chegará com o ano novo pois sinaliza que estamos seguindo em frente, continuando de onde por qualquer razão paramos, desistimos, desanimamos, deixamos para depois e é comum que cada um faça a sua lista de desejos, promessas e metas, é comum o desejo de fazer tudo diferente, eliminando erros, buscando acertos, mas o que poucos refletem e isso deve ser lembrado, é que aconteça o que acontecer a experiência de tentar ficará guardada na memória independentemente do resultado e essa será levada para a vida toda como um recurso valioso para não cometermos os mesmos erros e enganos futuramente! Também é válido lembrar que não adianta anotar e adiar para começar depois do carnaval, quando tradicionalmente, muitos dizem, é quando de fato o ano começa, pois até lá o projeto já poderá ter ‘esfriado’ e você estará envolvido com outras questões mais imediatas!

Não aprendemos na escola e devido essa dificuldade comum sobre planejamento e organização de um novo ano, centenas de pessoas buscam inclusive ajuda profissional para auxiliá-los, e de fato com a gama de conhecimentos e estratégias que sugerem e utilizam tais técnicas trazem resultados para muitas pessoas... Porém, quando o problema é mais profundo, quando a saúde mental não é valorizada, vista e avaliada, o que observamos são pessoas carregadas de dicas, anotações, textos, sites, mentorias, livros e zero vontade de avançar e realizar... Subnutridas emocionalmente, tristes, cansadas, desanimadas, sentem-se absurdamente frustradas por investirem tanto e ainda assim não conseguirem praticar o que foi ditado naquela sessão, mentoria, livro ou vídeo do YouTube...

 

Para este grupo de pessoas, a dica de ouro é: - Não se compare à ninguém e tente antes de tudo perceber como estão as suas emoções! Para essa reflexão, trago três perguntas bem simples:

- Sente-se disposto e empolgado para pensar em metas e projetos ou o seu desejo mais profundo agora é desacelerar, descansar a mente e parar de se cobrar tanto?

- Tem mais sentimentos de esperanças ou medo em relação ao novo ano que está prestes a iniciar?

- É comum sentir raiva por estar onde está? Raiva do seu chefe, do seu trabalho, da sua rotina, das pessoas com quem vive, incluindo familiares?

Se você respondeu sim para a primeira pergunta, respeite-se admitindo o seu esgotamento físico e mental, admita que não está bem e imponha respeito às pessoas que convivem com você! É comum recebermos cobranças de todos os lados, a família cobra a nossa presença, os amigos querem nos ver sorrindo, para aqueles que tem filhos, precisam se ocupar também com os cuidados diários, alimentação, educação, limites...Ufa! Cansa mesmo, mas se você não verbalizar ninguém vai saber, ninguém procurará te acolher e ajudar se você não der os seus gritos, rs.

Para a segunda questão, se você está esperançoso, excelente, mas se sente medo, é possível que com essa emoção você também sinta tristeza, vontade de desistir e jogar tudo para o alto ou se acolher num canto onde se sinta seguro, protegido e de preferência não seja incomodado por ninguém! O perigo, neste caso, é se sentir cada dia mais triste e acomodado nesse canto solitário, cativando o medo e se isolando da vida. Neste caso, trago uma sugestão: - Coloque um prazo para sair dessa reclusão, descanse, mas planeje o retorno, nestes dias experimente exercer a sua fé, tente trazer à memória fatos e momentos gratificantes, tome um pouco de sol de manhã, a vitamina D será um importante protetor para a sua saúde mental evitando a evolução de uma tristeza passageira para algo mais sério como a depressão, faça atividade física, pois ela também contribuirá para a prevenção que deve ser seguida de boa alimentação e sono de qualidade!

Para a última questão, sentir raiva é um sinal de alerta importante que permite diagnosticarmos rapidamente relações e situações que podem estar minando a sua energia e alegria de viver, e para essa questão é preciso estar aberto para o diálogo, para buscar ouvir os outros envolvidos, também lembrando que tudo poderá ficar mais leve, ser ressignificado e compreendido através de uma conversa aberta, sincera e pacífica ao mesmo tempo, onde ninguém pretende ter razão, mas acima de tudo compreensão em prol de relações mais humanas e saudáveis!

Finalizando, concluo dizendo que antes de fazer uma lista enorme do que deseja realizar, verifique se tem combustível emocional para continuar ou precisa de pausa, colo e ajuda para prosseguir!

Não se cobre tanto...

Não queira ser igual a grama do vizinho, ela pode ser artificial e você nem percebeu!

* Sani Neves é psicóloga, palestrante, terapeuta EMDR e Consteladora Familiar. CRP 18/01332.

 
Cuiabá MT, 13 de Junho de 2024