Cuiabá, 18 de Maio de 2024
Icon search

CUIABÁ

Opinião Quarta-feira, 30 de Dezembro de 2020, 11:40 - A | A

Quarta-feira, 30 de Dezembro de 2020, 11h:40 - A | A

ROSÂNGELA LUCAS

Perdoar é possível?

Rosângela Lucas*

O que é perdão?

O perdão não é algo que você faz pela outra pessoa. Quer seja um cônjuge que foi infiel, um pai que o decepcionou, quando criança ou um amigo que compartilhou algo que foi dito em segredo. Todos nós devemos enfrentar a questão: saber perdoar e como perdoar.

Depois de ser injustiçado e a emoção ter passado, você é apresentado a um novo desafio: você perdoa a pessoa? Ao perdoar, você deixa de lado suas queixas e julgamentos e se permite curar. Embora isso possa parecer bom na teoria, na prática, o perdão pode, às vezes, parecer uma atitude impossível.

O perdão nutre a tolerância e a sabedoria. “Somos demasiados pobres para colocar condições, necessitamos perdoar, porque precisamos ser perdoados”. Papa Francisco.

Ao perdoar, você está aceitando a realidade do que aconteceu e encontrando uma maneira de viver em um estado de resolução com isso, viver em paz. Este pode ser um processo gradual, e não precisa incluir a pessoa a quem você está perdoando. O perdão não é algo que você faz pela pessoa que o fez, é algo que você faz por você.

O perdão requer um sentimento de vontade de perdoar. Às vezes, você não perdoa, porque a dor foi muito profunda ou porque a pessoa foi muito abusiva ou não expressou arrependimento. Não tente perdoar alguém antes de identificar, sentir, expressar e liberar sua raiva e dor...

Se decidir perdoar, encontre um bom lugar e um bom momento para ficar sozinho com seus pensamentos. Em seguida, tente seguir estas quatro etapas para perdoar, mesmo quando parece ser impossível:

Pense no incidente que o irritou: aceite que aconteceu. Aceite como você se sentiu a respeito e, como isso, o fez reagir. Para perdoar, você precisa reconhecer a realidade do que ocorreu e como você foi afetado.

Reconheça o crescimento que você experimentou como resultado do que aconteceu. O que você aprendeu sobre si mesmo ou sobre suas necessidades e limites? Você não apenas sobreviveu ao incidente, mas cresceu à partir dele.

Agora pense na outra pessoa. Ele ou ela tem falhas, porque todos os seres humanos têm falhas. Quando você foi ferido, a outra pessoa estava tentando satisfazer uma necessidade. Qual você acha que era essa necessidade e por que a pessoa agiu de forma tão dolorosa?

Finalmente, decida se deseja ou não dizer a outra pessoa que você a perdoou. Se você decidir não expressar o perdão diretamente, faça-o sozinho e deixe seguir...

O perdão coloca um selo final sobre o que aconteceu que o magoou. Você ainda se lembrará do que aconteceu, mas não será mais limitado por isso. Trabalhando os sentimentos e aprendido o que precisa fazer para fortalecer seus limites ou ter suas necessidades atendidas, você, certamente, estará mais apto a cuidar de si mesmo no futuro. Perdoar a outra pessoa é uma maneira maravilhosa de honrar a si mesmo. Afirmar ao universo que você merece ser e estar feliz.

“A primeira pessoa a se beneficiar do perdão é aquele que perdoa e não aquele que é perdoado”. Augusto Cury.

 

*Rosângela Lucas é professora, escritora e palestrante motivacional.

Cuiabá MT, 18 de Maio de 2024