Cuiabá, 21 de Maio de 2024
Icon search

CUIABÁ

Política Terça-feira, 16 de Janeiro de 2024, 10:03 - A | A

Terça-feira, 16 de Janeiro de 2024, 10h:03 - A | A

QUEDA NA PRODUÇÃO

Agro vê período difícil na produção e Geller busca linha de crédito acessível no BNDES

Alana Casanova | Assessoria de Imprensa

Defendendo a importância do diálogo e a união do setor num momento de incertezas na produção nacional, em virtude do fenômeno El Niño, o secretário de Política Agrícola do Mapa, Neri Geller, cumpriu sua primeira agenda oficial em Mato Grosso nesta segunda-feira (15.01), na Famato.

Com foco nas ações emergenciais já que, o reflexo dos problemas climáticos na safra 23/24 são uma queda brusca na produção -de soja (em 11,43%) e para o milho (de 24,96%)-, Geller anunciou como prioridade a busca por linha de crédito para custeio fixada em dólar e o Seguro Rural.

“Na época em que assumimos a SPA, lá atrás, as taxas de juros no Plano Safra eram de 3% a 5%, por exemplo, para custeio, pré-custeio e investimento, hoje, estamos praticando algo em torno de 14 a 17%. Em algumas atividades isso inviabiliza completamente a produção. De imediato vamos buscar linha de crédito junto ao BNDES a 7% (mais taxa cambial) e pagamento em 3 anos para custeio”, adiantou o secretário de Política Agrícola Nacional.

Presidente da Famato, Vilmondes Sebastião Tomain fez um apelo no sentido do setor se unir independente das questões ideológicas. “A eleição já passou e é hora de pacificar as coisas, não adianta ficar arrumando culpado. A previsão de queda na produção de soja é de um quase 15% mais os 20 a 25% do milho não vai ser fácil pro agro não”, alertou.

Além da diretoria da Famato, estiveram presentes na reunião: Aprosmat, Aprofir, Acrismat, Fórum Agro, OCB/MT, Ampa e os deputados estaduais Dilmar Dal’Bosco e Wilson Santos.

Seguindo orientações do ministro Carlos Fávaro, Neri segue criando espaço e uma agenda oficial do agronegócio junto ao Governo Federal.

 
Cuiabá MT, 21 de Maio de 2024