Cuiabá, 18 de Julho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Política Sexta-feira, 14 de Maio de 2021, 13:37 - A | A

Sexta-feira, 14 de Maio de 2021, 13h:37 - A | A

OPERAÇÃO ROTA FINAL

Dilmar alega inocência e critica exposição negativa causada por operação

O deputado estadual Dilmar Dal'Bosco (DEM) disse ser inocente e criticou a exposição causada pela operação Rota Final. A ação foi deflagrada nesta sexta-feira (14) pelo Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco) e Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco).

Por meio do seu advogado, André Albuquerque, o deputado disse desconhecer o motivo pelo qual foi alvo de busca e apreensão em sua casa, pois já teria prestado depoimento no processo perante o Gaeco/Naco anteriormente. Ele também afirmou que tem colaborado com as investigações.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias em tempo real (clique aqui).

Na manhã desta sexta, agentes do Gaeco fizeram buscas aconteceram na casa de Dilmar em Sinop (479 km de Cuiabá). Segundo o parlamentar, nada foi encontrado na residência. O deputado está em viagem, acompanhando o governador Mauro Mendes (DEM) em uma série de agendas na região de Alta Floresta e Confresa.

O Ministério Público Estadual (MP-MT) afirma que Dilmar teria atuado junto com o ex-deputado Pedro Satélite (PSD) e o empresário Éder Pinheiro, da Verde Transportes, para fraudar a licitação do transporte coletivo intermunicipal em Mato Grosso. Os três são investigados por corrupção, lavagem de dinheiro e fraude em licitação.

"A busca e apreensão realizada na residência do parlamentar em Sinop visa encontrar documentos que poderiam ligar o Parlamentar a ter qualquer relação com os acusados. Porém, nada fora encontrado, que conclua tal ligação do Parlamentar aos envolvidos", diz parte da nota.

 A investigação, iniciada na Polícia Judiciária Civil do Estado de Mato Grosso, foi encaminhada, com autorização do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso (TJMT), ao GAECO-MT em meados de 2019, onde foi concluída pelas autoridades policiais do Grupo Especializado, com supervisão do NACO Criminal. O Inquérito policial possui 47 volumes de elementos de informações. Mais de 20 (vinte) pessoas são investigadas, dentre eles alguns empresários e dois parlamentares estaduais.

 

Confira abaixo a nota na íntegra:

"O Deputado Estadual Dilmar Dal Bosco, juntamente com seu advogado, André Albuquerque, vêm a publico, manifestar, através de nota, sobre o mandado de busca e apreensão, cumprido pelo GAECO e NACO, cuja operação é denominada como “Operação Rota Final” em sua residência oficial, na cidade de Sinop, deflagrada na manhã desta sexta-feira (14) conforme o que segue abaixo:

1- O mandado de busca e apreensão, foi expedido pelo Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso, pelo desembargador relator, sr Marcos Machado;

2- O Deputado Dilmar Dal Bosco através de sua defesa, não entende os motivos pelos quais foi alvo de busca e apreensão pelo GAECO, uma vez que já prestou depoimento no processo perante o GAECO/NACO anteriormente, sempre se colocou a disposição para qualquer outro esclarecimento, sendo assim, estranhamente, foi alvo de Busca e apreensão de documentos e bens eletrônicos;

3- Cumpre informar que o Deputado Dilmar Dal Bosco não foi denunciado formalmente, não é Réu no processo denominado Operação Rota final, que apura crimes ligados ao setor de transportes;

4- Cabe dizer também, que contrariamente ao que está sendo veiculado na mídia, não houve expedição de mandado de busca e apreensão no Gabinete do Deputado Dilmar Dal Bosco, na Assembleia Legislativa, houve apenas em sua residência particular em Sinop, da mesma forma que não houve sequer pedido de bloqueio de bens ou pedido de prisão contra o Deputado, até porque, o mesmo não é Réu no processo;

5- A busca e apreensão realizada na residência do parlamentar em Sinop visa encontrar documentos que poderiam ligar o Parlamentar a ter qualquer relação com os acusados. Porém, nada fora encontrado, que conclua tal ligação do Parlamentar aos envolvidos.

Sendo assim, a defesa irá buscar informações junto ao Processo Judicial bem como, junto ao GAECO-NACO, para saber quais foram as razões que levaram a tamanha exposição desnecessária para com o Parlamentar, além de outras medidas que entender serem necessárias."

Cuiabá MT, 18 de Julho de 2024