Cuiabá, 24 de Julho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Política Sexta-feira, 19 de Março de 2021, 11:11 - A | A

Sexta-feira, 19 de Março de 2021, 11h:11 - A | A

COLAPSO DA SAÚDE

Em carta, Mauro alerta para falta de medicamentos e pede socorro de Bolsonaro à Saúde

Jefferson Oliveira

Mauro Mendes (DEM) e outros 12 governadores encaminharam nesta quinta-feira (18) uma carta ao presidente da República, Jair Bolsonaro, por meio do Fórum Nacional de Governadores, alertando sobre as irregularidades na cadeia de suprimentos dos medicamentos utilizados para tratamento de pacientes com quadros graves de covid-19.

De acordo com os governadores, o agravamento da crise sanitária levou a uma alta expressiva na demanda pelos medicamentos que compõem o chamado ‘kit intubação. Com isso, ao menos 11 medicamentos estão em falta ou em baixa cobertura (estoque para 0 a 20 dias) em mais de 10 estados.

A situação mais grave descrita na carta é referente aos bloqueadores neuromusculares, anestésicos e sedativos, utilizados na indução e manutenção de tratamento de pacientes intubados. Segundo a carta, esses medicamentos estão em falta ou em baixa cobertura em pelo menos 18 estados.

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) tem recebido tem recebido repetidos relatos sobre atrasos e parcelamentos dos quantitativos que devem ser entregues por força de contratos já firmados pelas secretarias estaduais de Saúde.

A carta ainda expõe a dificuldade de oferta desses medicamentos para aquisição direta pelos hospitais, o que demonstra grave problema de acesso a esses produtos, observado em todo o País, bem como a dificuldade enfrentada pelos órgãos estaduais especializados para efetuar novas compras.

Os governadores pedem socorro ao presidente para que o governo federal realize compra emergencial dos insumos e, de forma contínua, pelo período mínimo de 60 dias, mantenha a distribuição em quantidades suficientes para atender a demanda em todos os estados.

Outro pedido é que o Conselho de Ministros da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) autorize, também, a redução de preços de remédios, visando a diminuir as distorções nos valores que estão sendo praticados no mercado.

Cuiabá MT, 24 de Julho de 2024