Cuiabá, 30 de Maio de 2024
Icon search

CUIABÁ

Política Domingo, 14 de Janeiro de 2024, 07:00 - A | A

Domingo, 14 de Janeiro de 2024, 07h:00 - A | A

NÃO FIZERAM NADA

Sérgio Ricardo: “Sema deixou vencer licença do Ibama por inoperância”

Da Redação

O presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Sérgio Ricardo, criticou o Estado por inoperância porque não realizou nenhuma obra para evitar que os paredões na região do Portão do Inferno – na MT-251 que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães, tivessem problemas nos dias atuais.

Ele conta que a Secretaria de Meio Ambiente do Estado (Sema) tinha desde o ano de 2017 uma autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para realizar reparos naquele trecho.

“Sema já tinha a licença do Ibama para gerenciar isso e não gerenciou. Não correu atrás, não tomou as decisões que deveria ter tomado e perdeu essa licença, por inoperância. Agora, a Sema voltou a pedir para o Ibama para que volte a ter essa possibilidade. Esse pedido está sendo analisado pelo Ibama. A Sema tinha uma autorização do órgão desde 2017 não agiu e venceu em 2023”, disse

O presidente do TCE, disse que por meio da criação de uma comissão de gestão e crise que será criada por membros do TCE, senado, Assembleia Legislativa e outros, será cobrado do Ibama uma nova autorização. Os membros do nosso grupo de organização e gestão dessa crise aqui, o senador Wellington Fagundes, já estará marcando uma audiência no Governo Federal, e nós estaremos lá, para que o Ibama libere novamente a Sema para que possa gerenciar essa questão, das obras que poderão ser feitas aqui”, explicou.  

Na manhã desta sexta-feira, 12 de janeiro, um grupo de autoridades estiveram no Portão do Inferno para para fazer uma inspeção na região. Foram convidados a Defesa Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Companhia Mato-Grossense de Mineração (Metamat), Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (CREA), Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). 

 
Cuiabá MT, 30 de Maio de 2024