Cuiabá, 26 de Maio de 2024
Icon search

CUIABÁ

Polícia Quarta-feira, 31 de Janeiro de 2024, 11:21 - A | A

Quarta-feira, 31 de Janeiro de 2024, 11h:21 - A | A

SANGRAMENTO INTENSO

“Ela passou mal durante sexo”, diz atleta corintiano sobre jovem morta

g1

A morte de uma jovem de 19 anos após se encontrar com o jogador do sub-20 do Corinthians, Dimas Cândido de Oliveira Filho, de 18 anos, está sendo investigada pela Polícia Civil, em São Paulo.

O caso ocorreu na noite desta terça-feira (30), no Tatuapé, Zona Leste da capital paulista. Livia Gabriele da Silva Matos estava com Dimas, quando foi levada ao pronto-socorro do Tatuapé depois que o jogador acionou uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

 

A jovem sofreu quatro paradas cardiorrespiratórias, uma delas a caminho do hospital, e deu entrada no hospital com sangramento intenso nas partes íntimas.

1. O que aconteceu?

Livia Gabriele da Silva Matos, de 19 anos, estava no apartamento de Dimas, quando passou mal e teve parada cardíaca. Ela, então, foi levada ao pronto-socorro do Hospital Municipal do Tatuapé por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Foi Dimas quem acionou o Samu e comunicou sobre o estado de saúde de Livia.

2. Como o Samu encontrou a jovem e o que ocorreu no hospital?

Segundo a polícia, a jovem foi encontrada pela equipe do Samu com intenso sangramento nas partes íntimas e em parada cardiorrespiratória. Equipe de resgate fez massagem cardíaca e a encaminhou para a ambulância, onde a jovem teve outra parada.

No hospital municipal, a jovem ainda sofreu outras duas paradas cardiorrespiratórias.

Conforme boletim de ocorrência, o médico informou à família da jovem que Livia havia falecido após sofrer as quatro paradas cardíacas e que ela teve muita perda de sangue decorrente de uma fissura na vagina.

3. Os dois já se conheciam?

Conforme o jogador Dimas Cândido de Oliveira Filho, ele conheceu Livia meses atrás pelo Instagram e os dois marcaram um encontro para a noite de terça-feira.

Dimas afirmou à polícia que tinha sido a primeira vez que os dois tinham se visto pessoalmente e que no apartamento estavam somente ele e Lívia, fato que poderia ser confirmado pelas câmeras existentes no prédio, tanto no corredor de seu apartamento como na garagem.

4. O que foi encontrado no apartamento do jogador?

Após a notícia da morte de Livia, Dimas Cândido de Oliveira foi comunicado pelos policiais militares que precisava ir até a delegacia para registro da ocorrência, segundo boletim de ocorrência.

Como o jogador estava sem camisa e sem documento, os policias o levaram até seu apartamento e verificaram que havia sangue no chão do imóvel, além de toalhas e lençóis sujos de sangue pelo local.

Os PMs também constataram que uma cama havia sido removida para a lateral. O jogador afirmou que a remoção foi feita pela equipe do Samu para realizarem os procedimentos de socorro.

5. Qual a versão dada pelo jogador?

 Conforme registro policial, Dimas ressaltou que nunca tinha se encontrado com Livia, mas como iria entrar em férias e viajar para o estado de João Pessoa onde reside sua família, marcaram encontro para a noite de terça-feira (30).

O jogador afirmou que a jovem disse no dia anterior que iria pedir autorização para a mãe dela e lhe daria um retorno pela manhã. Ela confirmou o encontro e os dois mantiveram contato via WhatsApp.

O jogador relatou que a jovem foi sozinha ao seu apartamento, onde também se encontrava sozinho, e a recebeu no portão. Afirmou que os dois não fizeram uso de nenhum tipo de entorpecente, nem ingeriram bebida alcoólica, e somente ela que levou dois cigarros eletrônicos onde viu que usava um óleo.

No depoimento, o atleta disse também que os dois tiveram relação sexual e conversaram em seguida. Quando foram para a segunda relação sexual, ele diz que percebeu que Livia não respondia, momento então em que observou que ela tinha desmaiado e ligou imediatamente para o Samu.

Durante a ligação com o Samu, o orientaram colocá-la ao chão de barriga para cima e massagear o peito dela até a chegada da ambulância.

O jogador diz que foi nesse momento que viu que ela apresentava um sangramento na vagina, fato que comentou na ligação com o Samu.

No hospital, conseguiu junto com uma enfermeira do Samu desbloquear o celular dela com sua digital. A profissional da saúde quem ligou para a família e informou sobre o caso, pedindo para os parentes irem até o local.

O jogador ainda afirmou que a irmã de Livia disse que à tarde ela teria ingerido cerveja na casa dela e que ela tomava remédio para combater ansiedade.

 
Cuiabá MT, 26 de Maio de 2024