Cuiabá, 30 de Maio de 2024
Icon search

CUIABÁ

Polícia Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2024, 10:48 - A | A

Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2024, 10h:48 - A | A

CHEFÕES DO CRIME

Líderes de facção criminosa que atuava no Nortão são presos em bairros de Cuiabá

Assessoria | PJC

Dois homens, líderes de facção criminosa e foragidos da Justiça da Comarca de Arenápolis e Cáceres, foram presos na tarde de domingo (18.02), em Cuiabá, na Operação Fantasma, deflagrada pela Polícia Civil.

As prisões foram realizadas pela Gerência Estadual de Polinter e Capturas, durante ação para cumprimento de três mandados de prisão, em apoio às investigações conduzidas pela Delegacia de Arenápolis.

Os suspeitos vinham sendo procurados por atuarem como líderes de uma organização criminosa, responsável pelo tráfico de drogas e outros crimes, nas cidades de Arenápolis, Nortelândia, Nova Marilândia e Santo Afonso.

Um deles, de 35 anos, foi preso no bairro Residencial Itamaraty. O segundo, de 32 anos, com dois mandados em aberto, foi localizado pela equipe da Polinter no bairro Morada da Serra.

Os inquéritos instaurados pela Delegacia de Arenápolis tiveram como objetivo identificar, qualificar e descrever o modus operandi das lideranças do tráfico de drogas de toda a região.

Os investigados respondem por homicídios, ocultação de cadáver, tráfico de drogas, associação para o tráfico, porte ilegal de arma de fogo, roubo, sequestro, entre outros crimes.

Estrutura da organização

Conforme o delegado Hugo Abdon, por quase dois anos as lideranças, que são de Cuiabá, estiveram se esquivando das ações policiais. Porém, após os homicídios das vítimas Said Rios e Marcos Vinícius, em julho de 2023, os policiais civis de Arenápolis conseguiram identificar toda a estrutura da facção criminosa instalada na região.

Os faccionados se dividem em uma determinada estrutura. Um dos investigados, de codinome “Popeye”, exercia a função de voz, considerado dono da “quebrada” e que é responsável por toda a droga que chega.

O segundo, de codinome “Fernandinho”, é o braço direito de “Popeye” e operacionaliza a distribuição de drogas. Ele também participava da gestão das vendas e das cobranças.

Os demais membros se dividem entre “gerentes do tráfico” e “disciplinas”, além daqueles que exercem a função de “biqueira”, ou seja, aqueles que vendem as drogas em “bocas de fumo”.

Mandados de prisão

Com base nos indícios, evidências e nas qualificações dos criminosos, a Polícia Civil representou pela prisão preventiva de oito membros da facção, sendo dois dos líderes já presos anteriormente, o “Popeye” e “Fernandinho”.

Das oito ordens de prisões preventivas, quatro já haviam sido cumpridas pela Delegacia de Arenápolis. Neste domingo (18), a Polinter efetuou a prisão de mais dois deles, em Cuiabá. Já os outros dois, de codinomes “Arcanjo” e “Lacraia”, ainda estão foragidos.

A Polícia Civil de Arenápolis está empenhada em identificar a localização dos demais foragidos e as investigações referentes as condutas citadas continuarão para que todos os investigados sejam julgados e condenados por seus crimes.

O delegado Hugo Abdon destacou que os investigados movimentaram, em apenas um ano, mais de R$ 1 milhão em operações bancárias suspeitas. "O saldo da Operação Fantasma até o momento é de seis presos preventivos e dois ainda foragidos”, destacou o delegado.

 
 
 
Cuiabá MT, 30 de Maio de 2024