Cuiabá, 24 de Julho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Política Segunda-feira, 22 de Março de 2021, 17:10 - A | A

Segunda-feira, 22 de Março de 2021, 17h:10 - A | A

"ANIQUILADAS"

Avallone defende ampliação de ajuda para empresas que trabalham com eventos

Lorena Krebs e Jefferson Oliveira

O deputado estadual Carlos Avallone (PSDB) defendeu que o governo amplie as medidas de socorro aos microempresários. A fala foi feita na manhã desta segunda-feira (22), logo após a Assembleia Legislativa aprovar a destinação de R$ 55 milhões para linhas de crédito emergenciais, com o objetivo de aliviar a crise do setor de bares, restaurantes e eventos.

Avallone defendeu ainda que é preciso haver equilíbrio nas medidas restritivas, de forma a encontrar uma maneira de permitir que as empresas continuem a trabalhar, mas sem criar aglomeração.

“90% da arrecadação [de impostos do Estado] está em cima de 10% de empresas só, então nós temos que cuidar das outras 90% das empresas, que são pequenas e recolhem pouco. Esses têm que ter muita isenção, muito apoio, muito recurso disponível, pra tentar sobreviver. Então, nós vamos ter que ampliar nossas ajudas a cada 15 ou 20 dias, para que as coisas possam acontecer”, disse.

O deputado também cobrou apoio maior para o setor de eventos, considerado um dos mais afetados pela pandemia, devido às medidas restritivas. Ao ser informado de que uma festa de debutante foi fechada em Cuiabá madrugada de sábado (20), por reunir mais de 200 pessoas, Avallone disse que esse tipo de situação não pode ocorrer. Ainda assim, insistiu em um apoio maior para os empresários da área de eventos.

“Baile de debutante com 200 pessoas está errado, não pode ser. Setor de eventos está sendo aniquilado. O que precisa é o governo dar um apoio maior pra esses empresários. Só o apoio que nós demos até agora não vai resolver”, pontuou.

PROTESTOS - O governo de Mato Grosso está sendo alvo de constantes manifestações de diferentes setores, principalmente dos trabalhadores da vida noturna, devido ao decreto que obriga o fechamento dos comércios às 19h e toque de recolher às 21h em todo o estado.

No dia 08 de março, as participantes do Movimento das Mulheres de Eventos (MOVME) protocolaram um ofício no Palácio Paiaguás, contendo uma série de pedidos que vão desde vacina para a população, cesta básica para os trabalhadores do setor, auxílio emergencial e até mesmo relaxamento de impostos, tendo em vista que não estão trabalhando.

Já na quarta-feira (18) da semana passada, foi a vez de um grupo de trabalhadores do comércio noturno ir até o Palácio Paiaguás pedir pela flexibilização dos horários previstos no decreto estadual, para que possam retomar seu trabalho.

Cuiabá MT, 24 de Julho de 2024