Cuiabá, 13 de Junho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Polícia Terça-feira, 01 de Novembro de 2022, 17:35 - A | A

Terça-feira, 01 de Novembro de 2022, 17h:35 - A | A

JUSTIÇA FEITA

Policial é condenado a dois anos de prisão por atirar em estudante

g1

O ex-cabo da Polícia Militar Wellington Bispo Nunes foi condenado à pena de dois anos e quatro meses de detenção por ter atirado com munição antimotim contra a estudante Bruna Matos durante manifestação nas proximidades da Uiversidade Federal de Mato Grosso (UFMT) em 2013. A pena será cumprida em regime inicialmente aberto.

A Ação Penal Pública estava na 13º Promotoria de Justiça Criminal de Cuiabá e foi julgada pelo juízo da 11ª Vara Criminal Especializada em Justiça Militar da capital.

 

Na decisão, a Justiça considerou que “a ação do policial réu destoou da ação dos demais policiais, quando começou a desferir tiros aleatórios contra pessoas desarmadas que não estavam descumpindo a lei e a ordem”.

A decisão diz, também, que o militar apresentou violência desproporcional e desnecessária truculência contra os estudantes, uma vez que os disparos não foram acidentais, sendo que não teve distância mínima de segurança.

O caso
 
Conforme denúncia do Ministério Público de Mato Grosso, o crime aconteceu em março de 2013, na Avenida Fernando Corrêa da Costa, perto da Universidade. O então policial atingiu a mão esquerda de Bruna.

Ela precisou passar por cirurgia e ficou afastada das ocupações habituais por mais de 30 dias, o que caracterizou, segundo o Ministério Público, lesão corporal de natureza grave.

Nunes não foi condenado inicialmente. A denúncia havia sido extinta e a punição acabou retirada, porque havia sido concluído que não houve crime. O Ministério Público recorreu e, após instrução processual, pugnou pela condenação do réu.

 
 
 
 
 
Cuiabá MT, 13 de Junho de 2024