Cuiabá, 24 de Julho de 2024
Icon search

CUIABÁ

Política Quinta-feira, 03 de Junho de 2021, 10:22 - A | A

Quinta-feira, 03 de Junho de 2021, 10h:22 - A | A

GRUPO PRIORITÁRIO

Todos os trabalhadores da Educação devem estar vacinados em dois meses, prevê secretário

A vacinação dos profissionais de Educação deve ser concluída em até dois meses. A previsão partiu do secretário de Estado de Educação, Alan Porto, na manhã desta quarta-feira (2). Nesse cenário, há possibilidade de que todos os profissionais já tenham recebido ao menos a primeira dose antes do início das aulas presenciais, na modalidade híbrida, na rede pública estadual, marcada para o início de agosto.

Em entrevista à Rádio Capital FM, Porto explicou que sua projeção toma como base o grande contingente de profissionais da Educação. Só o Estado tem mais de 40 mil profissionais em sua rede de ensino. Quando somadas as redes federal, municipal e particular, a estimativa aponta que pelo menos 100 mil profissionais terão direito à vacina em Mato Grosso.

- FIQUE ATUALIZADO: Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba as notícias em tempo real (clique aqui).

Apesar do número elevado, Porto destaca que o governo do Estado já aprovou a destinação de 20% das próximas remessas de vacinas para os profissionais da Educação e que o Ministério da Saúde decidiu priorizar a vacinação desta categoria, enviando mais doses específicas para isso.

“Retornaremos no terceiro bimestre na modalidade híbrida, com 50% da capacidade da sala de aula, os professores vacinados, com segurança maior para os nossos profissionais e os nossos alunos”, disse.

A expectativa de Porto é conservadora. Isso porque, no último mês, Mato Grosso tem recebido uma média de 100 mil doses por semana, o que resultaria na reserva de aproximadamente 20 mil doses para os trabalhadores da Educação apenas pela cota do Estado. Assim, todas as doses para este grupo devem estar disponíveis em cinco semanas.

Entretanto, é preciso ressaltar que esse cálculo diz respeito apenas à primeira dose, o que não é suficiente para garantir a imunização. Há ainda um período de pelo duas semanas, dependendo da vacina, para que o corpo comece a adquirir imunidade. Além, é preciso incluir o prazo de até três meses para aplicação da segunda dose, e mais duas semanas para a resposta imunológica. Só então pode-se considerar que os trabalhadores da Educação estarão, de fato, imunizados.

A orientação do Ministério da Saúde é priorizar os trabalhadores de creches. Na sequência, vêm os profissionais que atuam nas pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes e Educação de Jovens e Adultos e, na sequência, trabalhadores da educação do ensino superior.

Alguns municípios já começaram a vacinar seus profissionais. É o caso de Várzea Grande, que tem 7.089 trabalhadores da Educação e já havia ministrado a primeira dose da vacina em mais de 2 mil deles até segunda-feira (31).

Cuiabá MT, 24 de Julho de 2024